“Creche não é mais assistencialismo, é educação”, dizem professoras

19 de julho de 2018 10:59
Educação , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
“Creche não é mais assistencialismo, é educação”, dizem professoras (Fotos: Alessandra Oliveira/Lance Notícias)

Desde o ano de 2001, após uma determinação do Ministério Público, as creches passaram a integrar a secretaria de educação do município e receberam o nome de Centro de Educação Infantil (cemei). A partir daí o local passou a ter uma rotina definida e fazem parte da formação educacional das crianças.

A diretoria do Cemei Lídia Bortoluzzi buscou o LANCENOTICIAS.com.br, pois relatam que ainda enfrentam dificuldades ao explicar para os pais sobre a rotina do local.

“Queremos que as pessoas entendam que creche não é mais assistencialismo, é educação, que as pessoas vissem com esses olhos. Todas as profissionais que trabalham nas creches hoje tem graduação e queremos que as pessoas entendam que as creches fazem parte da educação, não é um local só para deixar as crianças”, comenta a assistente pedagógica Soeli Ribeiro de Freitas.

A diretora, Vilma Versa Bordignon, destaca que o local tem uma rotina que é seguida por todos os alunos e que os pais também precisam estar cientes disso e seguir a mesma rotina.

“Temos o regimento interno, que é praticamente igual em todos os cemeis, e os pais recebem e assinam esse documento, mas nem todos ficam realmente cientes que aqui temos uma rotina e regras a serem seguidas. Por exemplo, eles precisam respeitar o horário de entrada e precisam saber que a crianças não podem faltar muitos dias sem justificativa, pois pode até perder a vaga”, enfatiza.

 

Rotina

Quanto a rotina, das 7h30 às 8h30 os professores recebem os seus alunos na sala de aula. Posteriormente as crianças tomam café e são trocadas. Depois elas participam da recreação, que é o momento em que a professora faz a chamada e encaminha alguma atividade.

O almoço é servido às 11 horas e depois as crianças dormem. Na parte da tarde, professoras e estagiárias fazem brincadeiras interativas com as crianças que colaboram com a interação e desenvolvimento delas.

O Cemei Lídia Bortoluzzi atende cerca de 140 crianças com idade entre quatro meses e quatro anos.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais