Crise: Primeira demissão em massa em Xanxerê deixa 117 funcionários desempregados

13 de maio de 2016 09:26
Comunidade , Economia Compartilhar no Whatsapp
Crise: Primeira demissão em massa em Xanxerê deixa 117 funcionários desempregados Tuper fecha em Xanxerê (Foto: Divulgação)

 

Há sete anos a empresa Tuper comprou a antiga Vanzin de Xanxerê e atuou no município mantendo quase 200 funcionários empregados. No entanto, a crise financeira que tanto se fala que existe no país, chegou a Xanxerê, fechando a Tuper e deixando 117 funcionários desempregado. Na noite desta quinta-feira (12), os funcionários se reuniram com seu sindicato para buscar uma negociação neste momento.

No fim do ano a empresa deu férias coletivas de dois meses, já deixando claro para os funcionários a situação delicada da empresa, além de vir diminuindo o quadro de funcionários a cada mês, já que a empresa iniciou com cerca de 400 funcionários e fecha agora com 117.

Lenoir Tiecher, presidente do Sindicato dos metalúrgicos, comenta que as verbas rescisórias destes funcionários chegam a R$ 3 milhões. “No fim do ano a gente adotou um plano de banco de horas, que a gente é contra, mas na dificuldade adotamos. A empresa ficou dois meses sem realizar nenhuma atividade e os funcionários receberam toda a remuneração de direito em dia. Na última terça-feira (3) a empresa dispensou os funcionários já que não tinha matéria prima para produção e já na parte da tarde a empresa começou a carregar algumas máquinas, da mesma forma que aconteceu na quinta-feira. Na sexta-feira (6), já havia um pedido por parte da empresa para que fizéssemos uma reunião do sindicato com a direção da empresa. Na semana seguinte a empresa confirmou o fechamento e que não teria condições de pagar a rescisão dos funcionários em cota única”, explica Tiecher.

Tiecher comenta ainda que há boatos de que a empresa busca a declaração de falência, o que deixaria os funcionários sem a rescisão, porém destaca que não é verdade. “Ontem (12) à noite convocamos os trabalhadores para assembleia onde dos 117, 105 estiveram presentes. Fizemos uma discussão aberta, deixamos claro a empresa que iremos ajuizar uma ação na Justiça do Trabalho de Xanxerê. A situação é delicada, mas destacamos que empresa está se mantendo aberta a negociação e esse boato de que a empresa quer declarar falência sair do município sem pagar os funcionários é mentira, desde o início estamos acompanhando a situação”, destaca.

“A assembleia foi um momento de muita emoção, de correr lágrimas. Trata-se de uma vida, pessoas trabalharam lá 10, 20 anos e se trata de uma família. Qualquer dúvida que os trabalhadores tenham o sindicato está de portas abertas, e, esperamos dentro de 30 dias concluir esse acordo na justiça do trabalho. Na próxima terça-feira os funcionários irão assinar a rescisão, pela parte da manhã”, finaliza.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais