De Portugal para Xanxerê, idosa conta a vivência no município

24 de novembro de 2017 09:45
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
De Portugal para Xanxerê, idosa conta a vivência no município Casa Portuguesa localizada no centro de Xanxerê (Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias)

 

A data da construção está na fachada: 17/09/1957. Ao entrar na loja de venda de tecidos, o sotaque também é diferente. Logo se associa o nome “Casa Portuguesa” a dona Luzia Clara da Cruz Lopes. Mãe de três filhas e viúva, a senhora portuguesa tem muitas histórias no baú das lembranças.

Para vir para o Brasil, Luzia viajou 13 dias de navio. A primeira parada foi em Santos, depois mudou para São Paulo e por fim veio para Xanxerê, onde o sogro e a sogra já a esperavam com o marido.

“Vim de São Paulo para Xanxerê de ônibus. Meu sogro já tinha construído o prédio quando chegamos aqui. Tinham bem poucas casinhas. Naquela época se matava muita gente aqui, muita briga por causa de pinheiro. Depois que cheguei aqui, queria ir embora para São Paulo de novo. Mas, como meu sogro construiu o prédio, tivemos que ficar. Naquela época era ruim de morar aqui, eu era acostumada com cidade grande, mas depois fui me acostumando”, conta Luzia.

Ao longo dos seus 80 anos de vida, Luzia presenciou o crescimento de Xanxerê, o alagamento histórico que assustou os moradores, a nevasca que atingiu uma única vez Xanxerê e em meio a tantos fatos inusitados e o crescimento da família, Luzia fez bons amigos.

“Hoje Xanxerê tá bonita, mas naquela época não era nada, hoje tem prédio bonito, hospital grande, mercados bons, me sinto xanxerense de coração. Tenho muitas amigas aqui, graças à Deus” finaliza.

Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias

 

 

 

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais