Delegado fala sobre investigação da morte de jovem em Xanxerê

26 de maio de 2017 16:00
Comunidade , Polícia , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Delegado fala sobre investigação da morte de jovem em Xanxerê Delegacia de Xanxerê (Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias)

O Delegado Regional de Xanxerê, Albino de Araujo, concedeu uma entrevista à Rádio Super Difusora na tarde desta sexta-feira (26), onde falou sobre a morte que chocou a comunidade xanxerense no dia de hoje. A jovem Maiara Paola Dill, de 22 anos, morreu durante a madrugada e a principal suspeita é de que ela tenha se engasgado. Todavia, somente após o laudo cadavérico ser divulgado é que se terá a certeza da morte da jovem.

Por volta das 03h24min de hoje (26) o Corpo de Bombeiros foi acionado pelo namorado da vítima. Mas, ao chegar no local, no Bairro La Salle, a jovem já estava sem os sinais vitais. No local, estava apenas a jovem e o seu namorado. Ela estava na casa da sua chefe e cuidava da residência enquanto a proprietária viajava, para não ficar sozinha, pediu companhia do seu namorado.

“Ainda não temos o resultado, mas já tomamos todas as providências cabíveis, o local foi isolado. Foi feita a preensão de documentos, objetos, remédios e outros objetos que possam ter relação com os fatos e ficamos no aguardo com o laudo cadavérico. O namorado da vítima foi trazido para delegacia, bastante abalado, conseguimos tomar o seu depoimento, ele falou sobre o relacionamento e contou que no final da noite por volta da 01h eles pararam em uma distribuidora de bebida, compraram bebidas e foram para a casa da chefe da vítima, que ela estava cuidando”, diz o delegado.

Na casa tinham algumas manchas de sangue e o namorado da vítima deu a sua versão a isso, para o delegado.

“Eu não quero me antecipar antes do resultado do laudo, externamente a vítima não tinha nenhuma marca, mas ninguém morre do nada. Segundo o perito não teve violência, os móveis não estavam bagunçados, tinham algumas manchas de sangue pela casa e segundo o namorado da vítima foi devido ele ter usado a força para tentar desengasga-la e ao tentar puxar a língua da vítima causou o sangramento, mas temos que aguardar o laudo cadavérico”, salienta.

Como a vítima teria se engasgado, segundo o depoimento do namorado dela

“Segundo o namorado, ela foi até a cozinha preparou um lanche, voltou para a sala com ele e já alegou dificuldade em respirar e o estado se agravou. Ele dá a versão dele. Inclusive foi apreendido alguns chocolates, alimentos nesse sentido. Agora vamos aguardar conforme o laudo”, finaliza o delegado.

 

 

 

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais