Denúncia: “é comum o uso de rebite por motoristas, inclusive no chimarrão”

23 de novembro de 2017 14:45
Comunidade , Polícia , Trânsito , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Denúncia: “é comum o uso de rebite por motoristas, inclusive no chimarrão” Imagem meramente ilustrativa (Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias)

 

Rebite é uma droga derivada de anfetaminas que estimula o sistema nervoso central fazendo com que ele tenha um ritmo mais acelerado de trabalho. A droga é bastante utilizada por caminhoneiros, que a utilizam para aguentar as horas de viagem que precisam fazer durante os seus trabalhos.

Em Xanxerê, o LANCENOTICIAS.com.br, entrevistou alguns motoristas, que não quiseram se identificar, para comentar o assunto.

“É comum o uso de rebite por motoristas, inclusive no chimarrão e tomam diariamente. Eles tomam para aguentar trabalhar tantas horas, a maioria trabalha por comissão, quanto mais trabalha mais ganha, mas o corpo não aguenta tanto, então eles usam rebite mesmo”, comenta um motorista em entrevista a reportagem do Lance Notícias.

O Sargento Kessler, da Polícia Militar Rodoviária Estadual (PMRv), explica que hoje os policiais possuem poucos recursos quando o assunto é uso de entorpecentes de condutores, pois, somente é possível ter a certeza da presença das substâncias com exames médicos.

“Hoje não tem nenhum instrumento legal, para constatar o uso de substância, o único modo é através de exame de sangue ou toxicológico. Na renovação da carteira, se ele tiver AE é rebaixada para B e nós temos uma incidência muito grande de motoristas profissionais que foram reprovados no exame, e, não somente jovens, inclusive com o uso de cocaína”, explica o Sargento.

O uso do etilômetro aponta apenas álcool, então, o motorista que utiliza essas substâncias somente será autuado se o policial que o abordar perceber que o condutor está com sua capacidade psicomotora comprometida.

“Se o policial perceber que o motorista estiver com sua capacidade alterada, a gente pode reter a CNH, que é o mesmo procedimento feito com condutores alcoolizados. Quando o agente de trânsito percebe os sinais como olhos avermelhados, lábios secos, fala sem orientação, não consegue definir onde está, neste momento o policial preenche o formulário onde tem 16 itens, e, dando dois ou mais já caracteriza crime de conduzir veículo com capacidade psicomotora reduzida”, salienta.

Para o condutor que for flagrado nestas condições a penalidade é de 12 meses de suspensão da CNH mais o valor da multa de R$2.930 mil.

“Nós precisamos do apoio da comunidade, o trânsito não é feito somente de uma pessoa, mas da coletividade. Aquele motorista com a capacidade psicomotora alterada está colocando em risco de vida a minha família, a sua família, ou seja, toda a sociedade”, finaliza o Sargento.


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais