Deputado federal do Oeste discute futuro do PT com ex-presidente Lula

22 de outubro de 2016 07:37
Comunidade , Política Compartilhar no Whatsapp
Deputado federal do Oeste discute futuro do PT com ex-presidente Lula Foto: Divulgação

 

O deputado federal Pedro Uczai (PT/SC) se reuniu com o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva para falar sobre o futuro do Partido dos Trabalhadores. O encontro aconteceu quinta-feira, dia 20, no Instituto Lula em São Paulo. Também participou o deputado federal Padre João (PT/MG), além de dirigentes do diretório nacional do PT.

As lideranças petistas integram a corrente interna do partido chamada “Militância Socialista”, que busca mudanças nos rumos do PT. “Em períodos de crise temos que reafirmar nossas conquistas, nossos princípios, nossos valores e ao mesmo tempo mudar o que tem que ser mudado, principalmente o conteúdo de um novo projeto político com novos métodos de construção partidária”, disse Uczai.

O parlamentar do Oeste de Santa Catarina integra um grupo de aproximadamente 40 deputados federais que, mesmo antes do processo eleitoral de outubro, vem discutindo e propondo mudanças na condução do partido para que a direção esteja mais próxima e sintonizada com a militância.

O grupo, intitulado “Muda PT”, nesta semana se reuniu mais uma vez em Brasília e passou a discutir a necessidade de antecipação do “VI Congresso do PT”, com o propósito de que o partido possa fazer amplo debate interno de orientação sobre o caminho político da sigla nos próximos anos.

Ao final do encontro do “Muda PT”, os parlamentares apresentaram publicamente uma nota em que voltaram a classificar como “golpe de estado contra a democracia, os direitos sociais e a soberania nacional” a chegada de Michel Temer ao governo. O texto também garante que o partido vai “lutar contra o governo golpista de Michel Temer e em defesa de Lula e de um PT socialista, democrático e de massas”.

“A vida nos exige coragem e o que nos une é a disposição de mudar o PT. A atual maioria do partido, além de se negar a reagir à gravidade do momento que vivemos, quer limitar o debate partidário a realizar ou não um PED (Processo de Eleições Diretas)”, acrescenta a nota. (Fonte: Oeste Mais)

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais