Deputado usa tribuna da Alesc para pedir instalação de Patrulhas Rurais

12 de julho de 2016 14:37
Comunidade , Polícia , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Deputado usa tribuna da Alesc para pedir instalação de Patrulhas Rurais (Foto: Divulgação)

O deputado estadual, Neodi Saretta, pediu na manhã desta terça-feira (12), na Tribuna da Assembleia Legislativa (Alesc) que o Estado instale Patrulhas Rurais em municípios bases ou sedes do meio rural e restabeleça o funcionamento da de Xanxerê-SC. Segundo o deputado, os moradores das zonas rurais de Santa Catarina estão vivendo um pesadelo com o aumento da criminalidade e a Patrulha Rural da Polícia Militar implantada em Xanxerê teve resultados bastante positivos. “Durante o período em que atuou, foram 21 meses de mapeamento das principais rotas de fuga de traficantes e contrabandistas pelo interior, o município tornou-se um exemplo a ser seguido”, elogiou.
Infelizmente, segundo Saretta, este trabalho foi desativado por falta de recursos financeiros. “Por isso propusemos na Alesc algumas indicações para que se criem patrulhas em mais cidades”, afirmou. O deputado contou que além de furtos têm sido comuns casos de roubo, violência e de famílias inteiras de agricultores sendo feitas reféns de bandidos.
Saretta disse que as comunidades têm clamado diariamente para que se aumente o efetivo policial e a Patrulha para garantir segurança nas áreas rurais: “O fato de saber que existe um veículo, uma viatura se deslocando na região cria a sensação de segurança à população e alguma intimidação para aqueles que estejam pensando em cometer alguma infração. “Há um velho hábito no interior de deixar as portas abertas das casas, mas infelizmente isso já não é mais a realidade nas comunidades rurais. O agricultor que já sofre com as dificuldades para se manter no campo, para produzir alimentos, sofre também agora com o temor de crimes bárbaros como ocorreu em Arabutã, Seara, Xavantina e em outros municípios”, comentou.
CONVOCAÇÃO DOS EXCEDENTES – O deputado defendeu ainda que sejam chamados os excedentes de concursos da Polícia Militar que foram aprovados e têm condições de atuar, também no interior. “Embora há dificuldades econômicas, não podemos deixar questões essenciais do Estado em segundo plano como a segurança, que é uma absoluta prioridade”.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais