Detento do Presídio de Xanxerê é o primeiro a receber tornozeleira eletrônica na unidade

Em Xanxerê, pela primeira vez após a implantação do dispositivo, um detendo fará uso da tornozeleira eletrônica.

30 de agosto de 2018 11:36
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Detento do Presídio de Xanxerê é o primeiro a receber tornozeleira eletrônica na unidade Fotos: Divulgação/Lance Notícias

O Ministério da Justiça e o Conselho Nacional de Justiça fizeram uma parceria para a compra de tornozeleiras eletrônicas, que é um dispositivo que tem sido utilizado como uma forma de reduzir a lotação dos presídios.

Em Xanxerê, pela primeira vez após a implantação do dispositivo, um detendo fará uso da tornozeleira eletrônica. O homem é detento da comarca de São Domingos (SC) e está cumprindo pena no Presídio Regional de Xanxerê.

“Essa é primeira tornozeleira que está sendo utilizada. Esse é um método de diminuir o problema de superlotação do Presídio de Xanxerê, pois é uma desnecessidade manter preso quem poderia responder ao processo em liberdade, em casa. Tem os requisitos para utilizar a tornozeleira. Ela é prevista para presos provisórios e presos do semiaberto. Mas, a princípio, nenhum detendo daqui havia sido beneficiado. Este é o primeiro, que veio da comarca de São Domingos”, explica Marionice Favero, gestora do Presídio de Xanxerê.

Após receber a tornozeleira o homem vai permanecer no município onde residia. “Ele vai permanecer no município dele. Ele tem restrições de lugares que ele não pode frequentar. Existe o centro de monitoramento em Florianópolis e ele funciona como se fosse um GPS. O homem tem a circuncisão dele, de onde ele pode circular. Se ele sair dessa área, vai disparar o alarme e o centro de monitoramento, imediatamente, vai comunicar a Polícia Militar para verificar onde ele está e o que ele está fazendo”, comenta Marionice.

A tornozeleira é um pouco mais grossa do que um celular e tem quase o mesmo peso: 128 gramas. O objetivo dela é acompanhar passo a passo do preso.

 

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais