Dia Nacional da Adoção será marcado por palestra com o tema “A criança que será sua filha” em Xanxerê

23 de maio de 2017 10:05
Comunidade , Cultura , Educação , Lance Notícias , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Dia Nacional da Adoção será marcado por palestra com o tema “A criança que será sua filha” em Xanxerê (Foto: Divulgação)

O Grupo de Estudos e Apoio à Adoção de Xanxerê (Geaax), Amigos da Criança, realiza uma palestra com a participação da doutora em psicologia e professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Lídia Weber. A palestra será realizada no dia internacional da adoção quinta-feira (25), com início às 19h30min, na Unoesc, auditório do Bloco E.

O presidente do Grupo de Estudos e Apoio à Adoção de Xanxerê (Geaax), Ivan Durand Junior, comenta que todos os anos é realizado um evento no mês de maio próximo da data, mas esse ano com a disponibilidade da palestrante o evento será realizado no dia internacional da Adoção.

A palestra intitulada “A criança que será sua filha”, tem por objetivo orientar os pais adotivos e aqueles que pretendem adotar sobre a expectativa e a idealização da família.

“A expectativa da espera do filho a idealização do filho temos o costume de idealizar a família e não acontece como a gente espera. Temos que nos adaptar, conviver, ter um bom relacionamento familiar isso não acontece por milagre com nenhuma família, é justamente isso que ela vai abordar esse relacionamento entre pai e filho, em que momento devo conversar com meu filho sobre a origem dele”, relata Ivan.

O grupo já trabalha com isso há vários anos e busca estar sempre discutindo sobre questões familiares. “No dia 3 de maio realizamos uma reunião com uma psicóloga que abordou os relacionamentos familiares. As reuniões são realizadas a cada dois meses e são abertas para quem quiser participar”, diz Ivan.

A palestra será aberta para toda comunidade e não terá custo nenhum. “Todos estão convidados, é importante a participação das pessoas, precisamos discutir esses assuntos, é importante trabalharmos isso quanto mais adquirimos conhecimento no assunto, mais quebramos os tabus eliminando os preconceitos por isso é necessário a participação da comunidade”, finaliza Ivan.


Por: Direto da Redação

Deixe seu comentário

Saiba Mais