“Direito não se retira, mas se amplia”, diz sindicalista sobre retirada de um feriado municipal

19 de abril de 2016 09:58
Comunidade , Economia , Política Compartilhar no Whatsapp
“Direito não se retira, mas se amplia”, diz sindicalista sobre retirada de um feriado municipal (Foto: TV Câmara)

Nesta segunda-feira (18), aconteceu mais uma sessão ordinária na Câmara de Vereadores de Xanxerê, onde o principal assunto foi a diminuição do número de feriados municipais. A emenda nº 1 de autoria dos vereadores Adenilso Biasus e Amélio Radaelli ao Substitutivo do Projeto de Lei nº 5/2016 que “Estípula os feriados municipais no município de Xanxerê, e dá outras providências”, teve votação única que definiu a retirada de um feriado municipal, a terça-feira de carnaval.

Xanxerê conta com os seguintes feriados: 27 de fevereiro (Dia do Município); Sexta-Feira da Paixão; 6 de agosto (Dia do Padroeiro Senhor Bom Jesus); terça-feira de Carnaval e Corpus Christi. O projeto visa a alteração, deixando de ser feriados municipais a terça-feira de Carnaval e o Corpus Christi. Mas, ficou definido apenas a retirada de um feriado, o do Carnaval, desta forma o município conta quatro feriados.

Empresários e autoridades acompanharam a votação e expuseram suas opiniões em relação ao assunto. O advogado Roberto Curcino utilizou a tribuna. “Carnaval não é feriado nacional, muito menos em estados. E, sim ponto facultativo, sempre foi. Em Xanxerê, não sei quem teve essa ideia de formular um projeto de lei e transformar o carnaval em feriado, e feriado religioso ainda.

O presidente da Acix, Oscar Martarello também comentou a situação. “Primeiro quero dizer que somos contrários em alguns pontos, primeiro quando diz que as leis beneficiam o empresariado. Imaginemos uma linha imaginaria onde de um lado está o trabalhador e do outro o empresário, hoje existe apenas uma célula trabalhadora, onde todos nós ganhamos ou todos nós perdemos. Por isso nós temos que pensar com muita calma. Peço então que todos analisem com muita cautela e peço a retirada dos dois feriados”, diz.

Lenoir Tiecher, presidente do Sindicato dos metalúrgicos, também utilizou a tribuna se posicionando contra o projeto. “O nosso pedido é para que rejeite esse projeto, uma vez que como está é de bem comum para toda a comunidade. Salientamos ainda que somos contrários a qualquer retirada de feriado por ser um direito adquirido e direito não se retira, mas se amplia. Não vamos permitir que nos tirem esse direito.

O Vereador Adriano de Martini e também sindicalista, também se posicionou contra a redução do número de feriados. “Nós não vamos pagar o pato desta história. Eu faço aqui um apelo para que este projeto seja rejeitado, porque no nosso parecer os cinco feriados são constitucionais, são legais. É um golpe contra a classe dos trabalhadores. Por isso declaro aqui que sou contra e luto pela classe trabalhadora”, disse o vereador.

Confira a sessão completa AQUI.

 

 

 


Por: Direto da Redação

Deixe seu comentário

Saiba Mais