Dona Santina mantém a tradição do benzimento há 47 anos em Xanxerê

22 de fevereiro de 2018 14:43
Comunidade , Cultura , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Dona Santina mantém a tradição do benzimento há 47 anos em Xanxerê Dona Santina mantém a tradição do benzimento há 47 anos em Xanxerê. (Foto: Alessandra Oliveira/Lance Notícias)

É difícil algum morador de Xanxerê não conhecer a Dona Santina. Ela que reside no Pesqueiro Caleffi, interior do município, atua como benzedeira há 47 anos e com muita alegria destaca que tem muito que aprender.

Hoje Gentilia Trevizol Santin está com 71 anos e ainda lembra quem foram as primeiras pessoas que benzeu e também comercializou remédios. “O primeiro foi para o Celso Santin e o Gentil Ferronatto foi o segundo”.

Os trabalhos iniciaram após seu casamento, Santina comenta que aprendeu a benzer com sua avó. “Comecei com 22 anos, aprendi com a minha avó e agora já são 47 anos fazendo remédios e atendendo qualquer pessoa. Vem sempre crianças, adultos e idosos”.

De acordo com a tradição, quando uma pessoa se cansa de realizar o ato, é necessário passar para alguém. “É uma tradição que temos que passar. Quando nós cansamos, ou seja que não queremos mais, nós somos obrigados a passar para alguém. Eu ainda não decidi para quem passar, tenho que aprender muito e tem muito tempo pela frente”.

Santina não sabe dizer quantas pessoas atende por dia, mas destaca que faz por amor. “Não sei dizer quantas pessoas vem aqui, mas é bastante, fora as pessoas que ligam e pedem o benzimento por ligação”.

Entre os benzimentos mais pedidos está o de amarelão. “Eu benzo de amarelão, bicha, susto, quebrante e ainda tem pessoas que vem se benzer quando se machuca também”.

O que é o benzimento?

Benzer significa tornar algo bento ou santo. O ato de benzer uma pessoa é como rezar por ela, pedindo para que todos os males se afastem. Essa é uma pratica antiga que ganhou muita força no período de colonização.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais