Educadora faz avaliação sobre a implementação do Enem Digital a partir do próximo ano

29 de julho de 2019 10:30 | Visualizações: 127
Educação Compartilhar no Whatsapp
Educadora faz avaliação sobre a implementação do Enem Digital a partir do próximo ano Foto: Adriana Toffetti/A7 Press/Folhapress

O Governo Federal anunciou recentemente que iniciará um projeto piloto a partir de 2020 do Enem Digital. Conforme o modelo divulgado pelo Inep, 50 mil estudantes, ou seja, 1% do total previsto dos candidatos vão participar dessa versão digital, porém o projeto prevê que até 2026, 100% dos candidatos tenham acesso a prova digital.

Esse assunto ainda é bastante discutido pelos educadores do país, pois a implementação desse novo formato requer alguns cuidados, especialmente referente a fraudes e até mesmo a desigualdade de acesso.

Para opinar sobre esse assunto, o Lance Notícias conversou com a responsável pelo setor do Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) da Unoesc Xanxerê, Francielle Garghetti Battiston. Segundo a professora, essa tecnologia não é totalmente segura, segundo especialista, mas há perspectivas que sim.

Foto: Carol Debiasi

– A questão da segurança é bastante relativa. Segundo os especialistas, quando você faz uma prova online tem, por exemplo, reconhecimento facial, digital, que são fatores que evitam fraudes. Os defensores dessa nova proposta dizem que será mais seguro, mas a tecnologia e a inteligência artificial avançam continuamente, então dizer que é totalmente seguro eu não acredito que seja, mas a perspectiva é que sim – comenta Francielle.

 

Poderá ter uma metodologia melhor?

A prova no computador poderá dar ao avaliador mais informações sobre os candidatos, é o que afirmam os especialistas. Segundo a professora, a prova digital ficará mais dinâmica e possivelmente dificulte o nível das questões.

– Nessas plataformas digitais de avaliação você consegue mensurar o tempo que o aluno gasta para responder cada questão. Com isso formam-se gráficos e o registro mostra se o aluno vai ter mais ou menos dificuldade naquele conteúdo em específico. Além disso, a prova terá coloração, com imagens, infográficos e isso é uma vantagem, sem contar que a prova vai ficar mais dinâmica e isso dificulte o nível das questões – opina.

 

Desigualdade

Outro ponto importante é com relação ao público-alvo, ou seja, candidatos de escolas particulares e escolas públicas. Especialistas acreditam que alunos das escolas particulares certamente vão acelerar o processo de adaptação a provas no computador, diferente dos que frequentam as escolas públicas.

– Eu acredito que é um ponto bem importante. Qual seria a dinâmica desse Enem Digital? O MEC e Inep forneceria todos os computadores para os alunos realizarem as provas, teoricamente eles não precisam ter seus equipamentos, mas a questão é que as escolas precisam ter uma infraestrutura para que esses computadores sejam instalados, então se pensarmos assim em termos de desigualdade, tanto estruturalmente dos municípios menores, escolas públicas, isso é um ponto, como os estudantes também. Se pegarmos alunos das escolas particulares eles têm muito mais acesso, que a gente vê que na escola pública e com aquele público não tenha a mesma condição – finaliza Francielle.


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais