Em 14 anos de profissão, Juiz de Paz de Xanxerê realizou mais de 2.300 casamentos

Ele comenta que não pretende desistir tão cedo da profissão

28 de agosto de 2018 09:42
Comunidade , Lance Notícias , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Em 14 anos de profissão, Juiz de Paz de Xanxerê realizou mais de 2.300 casamentos Álvaro vê a profissão com muito amor. (Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

Álvaro Alberto Bossini se dedica há 14 anos na realização de casamentos. Atuando como Juiz de Paz do município, durante este período, ele realizou 2.350 casamentos. Destes, dois são de homossexuais.

“Eu fui nomeado no dia 14 de julho 2004, e já foram 2.350 casamentos realizados em Xanxerê. De lá para cá, eu tenho uma relação de casamentos que já fiz. Eu não sei até hoje como estou nisso, me chamaram, tinham dez pessoas, não sei qual critério utilizaram e eu fui escolhido para ser o Juiz de Paz de Xanxerê. Fui nomeado no dia 31 de julho de 2004, esta eu considero a minha data”.

Álvaro vê a profissão com muito amor, ele comenta que atuar como Juiz de Paz, é uma maneira de rever vários amigos. “Nunca pensei em desistir. Eu revejo tantas pessoas, amigos, isso é uma coisa que envolve muitos sentimentos. E a cerimônia é muito rápida, por isso muito optam apenas pelo casamento no cartório”.

Dos já realizados, ele comenta que de muitos ele se recorda. “Tem vários casamentos que já me marcaram, dois são os que fiz de pessoas do mesmo sexo. E eu indico para que as pessoas casem. Porque as coisas precisam ser perfeitas. Sempre indico que as pessoas façam as coisas certas”.

O xanxerense comenta que durante os 14 anos, nunca realizou menos de 142 casamentos por ano. E o período em que mais ocorreu foi relativo ao ano passado e este ano.

“A procura aumentou nos últimos anos. Desde que inicie, nunca realizei menos que 142 casamentos por período. O que mais deu foi em julho de 2017 a julho de 2018, que foram 226”.

Ele comenta que não pretende desistir tão cedo da profissão. “Eu gosto de fazer. Para mim isso não tem preço. Vou continuar realizando casamentos, até quando Deus me permitir”, conclui Álvaro.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais