Em 20 anos de atuação, jogador coleciona premiações em competições mundiais de poker

9 de setembro de 2019 10:50 | Visualizações: 833
Esporte em destaque , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Em 20 anos de atuação, jogador coleciona premiações em competições mundiais de poker Fotos: arquivo pessoal

Odair Salvagni é de Xaxim (SC) e faz parte do Clube de Poker, de Xanxerê. Já são mais de 20 anos participando do jogo e diversas premiações na bagagem.

No começo, os jogos começaram de forma informal, com os amigos, mas com o tempo, ele foi tomando gosto e hoje o poker não é apenas um hobby.

– Bem, eu já jogo o poker posso dizer que há mais de 20 anos. Tínhamos uma turma de amigos e jogávamos nas casas de um ou de outro. Só que nós jogávamos um poker diferente, era um poker de cinco cartas na mão. Faz uns cinco ou seis anos que comecei jogar o Texas Hold’em. Como que funciona: a mesa de poker é formada geralmente por nove jogadores, em que cada jogador recebe duas cartas, na mesa vai bater cinco cartas, e com suas duas cartas que você tem em mãos vão formar um jogo onde o melhor jogo vence – conta.

 

 

Em 2010, o poker foi reconhecido como um jogo de mente.

– Na verdade, temos que saber como cada jogador joga, tem muitos tipos de jogadores. Então, no momento em que sentamos na mesa para jogar temos que primeiro observar os adversários e ver como cada um joga, se é um bom jogador ou não. A partir disso que vamos formar a nossa estratégia – detalha.

Odair também é empresário e geralmente durante o dia cuida do negócio próprio e à noite se dedica ao poker.

– A minha vida é bem corrida pois sou proprietário de uma pequena fábrica de móveis aqui em Xaxim. Então, durante o dia trabalho com móveis e à noite e fins de semana minha vida é o poker. Sou muito dedicado, estou praticando todos os dias, sempre tentando melhorar o meu jogo. Antigamente eu via o poker como um hobby, hoje é minha segunda profissão – pontua.

 

 

O jogo, as amizades e a especialização

Com os jogos também vieram os amigos, os torneios, encontros e confraternizações.

– Tenho muitos amigos que vivem exclusivamente do poker. É legal, divertido e o principal é que fazemos muitas amizades. Quando eu comecei a participar de torneios eu tinha medo dos meus adversários. Hoje, a história mudou, pois, todos ou a maioria me conhecem, isso é legal, ver pessoas vindo me pedir ou me contar sobre uma jogada. Pessoas que antes não me conheciam, hoje me cumprimentam. Quando comecei eu não tinha habilidade, eu pensava que sabia, mas não tinha resultado. Foi quando comecei a estudar. Hoje em dia tem muita aula de graça para quem se interessar – salienta.

Quando o poker deixou de ser apenas um hobby, Odair precisou se dedicar cada vez mais.

– Eu decidi fazer um curso, estudar com professores que são especialistas nisso. Então, os resultados começaram a aparecer. Comecei jogando torneios aqui perto, Xanxerê, Xaxim, Chapecó, depois para torneios mais longe. Hoje participo de torneios em todas as regiões do Brasil – detalha.

 

 

Torneios expressivos

Além das competições da região, Odair já participou de torneios em São Paulo, inclusive do segundo maior torneio do mundo, o Bsop.

Neste fim de semana, ele foi para Porto Alegre (RS). Neste, o torneio principal vai pagar o prêmio de R$ 1 milhão e o campeão ganha aproximadamente R$ 400 mil.

– Estou bem colocado. Hoje (09) tem o segundo dia de jogos. Estou em busca do troféu – finaliza.

 

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais