Em passagem por Xanxerê, Dedé Santana conta sua trajetória voltada ao circo

28 de novembro de 2017 10:22
Comunidade , Cultura , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Em passagem por Xanxerê, Dedé Santana conta sua trajetória voltada ao circo Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias

O eterno trapalhão esteve em Xanxerê durante o fim de semana. Dedé Santana, hoje com 81 anos de idade, veio ao município para realizar apresentações no Circo Mix. Ele chegou em Xanxerê na última sexta-feira (24) e retornou nesta segunda-feira (27).

Esbanjando muita alegria, Dedé Santana comenta que o segredo de sua idade é o bom humor. “Esse corpo, com essa idade é tudo graças ao bom humor e a maquiagem”, disse em entrevista à Rádio Super Difusora de Xanxerê.

Dedé, foi nascido e criado no circo, ele pertence à oitava geração circense. “Circo é uma família, e tenho certeza que o público gosta. O circo antes era muito comum, mas hoje é uma raridade é uma mistura cultural”.

O ator destaca ainda que atua com oito números, mas tem especialidade em um. “Eu lembro uma vez que meu pai reuniu meus irmãos e pediu quantos números sabíamos fazer. Todos falaram um e, eu disse oito. Então ele me falou, porque você não faz só um e bem feito”.

Em um resumo de sua trajetória em 2017, Dedé destaca que participou de cinco filmes e em um deles foi ator destaque. “Eu fiz cinco filmes neste ano, em um deles fui considerado o melhor ator, recebi homenagens, prêmio, são todos eles envolvendo humor”.

Neste ano, Dedé também foi nomeado como embaixador do circo. “Por eu pertencer a oitava geração do circo, fui nomeado pelo Tiririca e alguns empresários como o embaixador do circo, acho que Oscar não teria o mesmo valor. Pois entrei no circo no colo da minha mãe e fui palhaço a primeira vez aos 7 e permaneço até hoje sendo palhaço”.

Para 2018, o humorista diz que tem muitos projetos, mas não pretende sair do circo. “Tenho dois filmes, programa de televisão e não posso contar tudo também, mas posso dizer que não vou abandonar no circo. O circo é o meio mais popular de cultura no Brasil sem contar que o circo é a mãe de todas as artes. Eu gosto de estar perto da população, por isso gosto do circo”, conclui.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais