Empresário de Xanxerê cai em golpe com cheque fraudado

13 de setembro de 2019 10:58 | Visualizações: 2816
Comunidade Compartilhar no Whatsapp
Empresário de Xanxerê cai em golpe com cheque fraudado Foto: Divulgação

Um empresário de Xanxerê caiu em um golpe nessa semana e levou um prejuízo de R$ 1.660,00. Ele recebeu uma ligação ao meio dia de um comprador conhecido de Faxinal dos Guedes, o qual solicitou um orçamento de duas baterias para caminhão. O valor foi repassado e o mesmo disse que o cunhado passaria a tarde pegar as baterias e fazer o pagamento.

A tarde, quando o homem chegou na loja para retirar a encomenda um cheque de uma cooperativa do RS foi entregue como forma de pagamento. Após consulta do CPF, foi constatado que não tinha restrição e a venda foi efetivada.

– No momento não prestei atenção nos detalhes do cheque, como CNPJ da cooperativa. Liguei no primeiro número que o homem me ligou, o qual um senhor atendeu e disse que emprestou o telefone em uma padaria na qual estava fazendo um lanche em Faxinal dos Guedes para outro homem, que seria o golpista, e ele me ligou. Liguei em outro número do homem que tinha me passado para eventual contato, ele atendeu e desligou – comenta o empresário que não quer ser identificado.

Diante disso, o empresário procurou um advogado para encontrar o proprietário do cheque, que seria um advogado do Rio Grande do Sul. Segundo a vítima, não foi possível contato com o advogado. No fim do dia ele esteve na Delegacia de Polícia de Xanxerê para verificar se havia alguma queixa, porém foi informado que SC e RS não possuem sistema interligado e não lhe informaram se o cheque tinha sido roubado.

– Ontem pela manhã o meu advogado foi na agência do Banco do Brasil aqui de Xanxerê para atestar a veracidade do cheque, porém também sem sucesso, apenas que o proprietário é um ótimo correntista. Fui orientado a fazer o depósito do cheque, mas antes optei por procurar a cooperativa administradora do cheque. Conseguindo contato por telefone, me pediram para enviar uma cópia do cheque por e-mail, mas já atestando que o CNPJ não era igual e a conta corrente não existia. Depois do e-mail encaminhado, veio a confirmação que se tratava de um cheque fraudado – relata o empresário.

Diante da situação, fica o alerta para os demais empresários da cidade para que não caiam em golpe semelhante a esse.


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais