Engenheiro civil comenta sobre cuidados em elevadores e plataformas em edificações

19 de agosto de 2019 10:47 | Visualizações: 151
Comunidade , Infraestrutura , Obras , Segurança Compartilhar no Whatsapp
Engenheiro civil comenta sobre cuidados em elevadores e plataformas em edificações Foto: Divulgação

Na última semana, duas pessoas ficaram feridas após uma plataforma para cadeirantes ter supostamente caído em um lar de idosos, em Chapecó. O Instituto Geral de Perícias realizou a perícia e, por meio da assessoria de imprensa do órgão, apontou que a porta da plataforma foi liberada sem a presença do elevador no pavimento. Com isso, a enfermeira, ao entrar de costas levando a cadeira que estava a idosa, por não perceber que a plataforma não estava no pavimento, ambas acabaram caindo juntas de 2,69 metros.

Mas o assunto vem à tona para que revisões em plataformas ou elevadores sejam constantes. O Lance Notícias conversou com o engenheiro civil e presidente da Sociedade de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Alto Irani (SEAI-SC), Carlo Antunes dos Santos, para explicar qual é a recomendação para evitar esses tipos de acidentes.

Segundo o profissional, em edificações multifamiliares as empresas realizam a manutenção periodicamente. Porém, em locais com plataformas, geralmente essas revisões não ocorrem de maneira como deveriam.

– Nós temos no Brasil o péssimo hábito de não fazer manutenção nas edificações. Edifícios de uso multifamiliar e que possuem elevador, a lei obriga que o síndico tenha um contrato de manutenção com alguma empresa, inclusive todo elevador em funcionamento deve ter um engenheiro mecânico responsável que assine uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Nesse caso de Chapecó é uma plataforma que tem características um pouco diferentes. Hoje em dia tem dezenas de empresas que fabricam, atendem Pessoas com Necessidades Especiais (PNE), então existem com cremalheira, pistão hidráulico, com cabos, vários tipos, mas muitas vezes como são usadas em ambientes com uso mais restrito, as pessoas usam essas plataformas e não contratam a manutenção de ninguém ou só vão fazer a manutenção quando tem um barulho diferente. Esse é um aspecto que difere bastante um elevador de uma plataforma – explica o engenheiro civil.

Atualmente, se tem no mercado as principais empresas de elevadores e que costumam ter seus programas de manutenção, visitas periódicas verificando as peças e, conforme o engenheiro, é muito raro problemas com elevador. Mesmo assim, esses elevadores tem uma série de equipamentos e dispositivos que tornam muito difícil a queda de um elevador, como freios que são acionados automaticamente, medidores de velocidade, cabo de segurança, etc.

– É fundamental que a manutenção dos elevadores seja acompanhada por um profissional, preferencialmente engenheiro mecânico e que se responsabilize pela manutenção. Um elevador tem contrato de manutenção, garantia e tem a ART, então o risco de dar um problema é muito pequeno. Uma plataforma ou um elevador sem manutenção tem a probabilidade muito maior de cair. Vale ressaltar que é obrigatório constar tanto em elevador como em plataforma o número máximo de pessoas, qual a carga máxima que pode ser colocada, então as pessoas tem que ter essa atenção e levar a sério – finaliza o presidente da SEAI-SC.

Exemplo de plataforma que geralmente é instalada em imóveis com até dois pavimentos. Foto: Divulgação


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais