Entidades realizam debate para ampliação da Feira Livre de Xanxerê

17 de fevereiro de 2017 07:30
Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Entidades realizam debate para ampliação da Feira Livre de Xanxerê Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias

 

Em torno de 40 pessoas participaram do primeiro encontro promovido na sede da Câmara Municipal de Xanxerê, com o objetivo de mobilizar e debater junto com produtores e os consumidores de Xanxerê que utilizam a feira livre municipal da agricultura familiar, especialmente tratando da comercialização dos produtores no espaço que existe, na Rua Antonio Vitório Giordani, no Centro.

Prestigiaram a reunião os vereadores Adriano De Martini, Nathan Moreira, Luiz Augusto Ceni e Ricardo Lira da Costa, além dos assessores de todos os demais vereadores junto com representantes de entidades, do centro de comercialização, do Colégio Agrícola La Salle, produtores, feirantes, sindicatos, cooperativa e demais entidades ligadas à agricultura familiar.

O objetivo da Câmara foi de propiciar o início deste debate, valorizando o espaço para resgatar o verdadeiro objetivo da feira livre, inclusive a questão cultural da produção artesanal, que vai contribuir e criar mecanismos para os consumidores terem um alimento saudável, segundo o presidente Adriano De Martini.

“Diante da dificuldade de adequação, é preciso construir uma equipe de trabalho que vai analisar e aprovar projetos para a feira livre aqui na Câmara e também queremos contar com o apoio do poder executivo”, afirmou Adrianinho.

“A Câmara inicia este trabalho de legislação visando a produção e comercialização para a feira livre e não nos mercados, para o devido encaminhamento ao município através da vigilância sanitária e secretaria de agricultura, juntamente com o Ministério Público. É preciso buscar uma estrutura mínima na atividade, com segurança de investimento pelos produtores e pequenas famílias, onde quem ganha é o consumidor com a aquisição de produtos de qualidade”.

O presidente da Cooperativa da Agricultura Familiar – CAF, Valdir Zembruski citou que uma adequação precisa ser debatida. Citou inclusive duas famílias, uma em Faxinal do Irani e outra no Voltão, que abandonaram suas propriedades após mais de 30 anos de atuação na feira livre.

“Eles desistiram da agricultura pois a feira livre sempre havia sido sua única renda e hoje se perderam alguns costumes tradicionais, onde se consome um frango à base de água e gelo e não como antigamente onde existia uma relação de confiança entre o feirante/produtor e o consumidor” afirmou o presidente da CAF.

Para o representante da Epagri, Alexandre Bortoluzzi, é importante todos interessados em atuar na feira livre, buscar sua capacitação e certificação para venda de alimentos. “Citamos como exemplo, a capacitação de 20 propriedades que passarão a atuar com produto orgânico futuramente e a feira livre vai ser fundamental para quem busca esta alternativa”.

Jurandir Giachini, da cooperativa CAF afirmou que é necessário uma adequação e acompanhamento da fase de beneficiamento até o produto final. “É preciso potencializar, desde a estrutura física até fazer uma inspeção municipal, sendo isto, uma forma de resgatar a cultura e reintegrar feirante e comunidade”.

Para o Irmão Aníbal do Colégio Agrícola La Salle, “a feira livre não pode ser vinculada com agronegócio, por que o agricultor oferece na feira, tudo aquilo que ele mesmo consome em casa, o que requer, portanto, uma legislação específica”. Justificou ainda que a escola atende filhos de produtores e 60% destes são bolsistas e a feira livre pode ser considerada uma questão de sobrevivência.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Xanxerê e Região, Ivaldo Sulsbach destacou que “Este é um projeto em construção que inicia com uma equipe de trabalho, não para afrontar a Lei, mas sim, um primeiro passo para atender a demanda dos consumidores e até a sobrevivência de muitos produtores”.

Ao final da reunião, o presidente Adriano De Martini encaminhou a criação de uma equipe de trabalho que volta a se reunir na próxima quarta-feira, dia 22 de fevereiro, às 14 horas, na sede da Câmara Municipal.

Foram escolhidos para a equipe de trabalho: Ivaldo Sulsbach (Sindicalista); Julio Sberse (assessor do vereador Vilson Piccoli); Divino Dalla Betta (feirante e representante do deputado Neodi Saretta); Indianara Batistela (agricultora); Jurandir Giachini (Cooperativa CAF); Tainara Basso (feirante); Irmão Aníbal (Colégio Agrícola La Salle); Alexandre Bortoluzzi (Epagri); Larissa Rodrigues (agricultora); Rosane Scaine (assessora do vereador João Paulo Menegatti), e indicados para fazer parte da equipe de trabalho ainda: Adriano De Martini (Câmara Municipal); Padre Nilton (representando a Paróquia); Valdir Zembruski (presidente da CAF); e representantes da prefeitura (setores de engenharia, vigilância sanitária e secretaria de agricultura), assessoria jurídica da Câmara de Xanxerê e o Ministério Público. (Assessoria de Imprensa)

Fotos: Assessoria de Imprensa

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais