Epidemiologia recebe resultado de exame após suspeita de coqueluche em creche de Xanxerê

4 de outubro de 2018 09:15 | Comunidade , Educação , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Epidemiologia recebe resultado de exame após suspeita de coqueluche em creche de Xanxerê Imagem Ilustrativa (Foto: Divulgação)

No fim do mês de setembro, um caso suspeito de coqueluche em uma criança que frequenta um Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei), localizado no Bairro La Salle, acendeu um alerta sobre a doença na região. Após 30 anos de erradicação no país, em 2011 a doença voltou a aparecer no Brasil e foram registrados cerca de 40 mil novos casos.

O resultado dos exames sobre a confirmação ou não da doença chegaram em Xanxerê na terça-feira (02) e apontaram negativo para a coqueluche. Conforme a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Xanxerê, Francis Mara Pegoraro, o setor segue um protocolo de atendimento quando há um caso suspeito, antes mesmo de receber o resultado do exame.

“Fizemos todo o protocolo quando existe um caso suspeito. Tudo o que tinha que ser feito, fizemos. Checamos todas as carteirinhas de vacinação naquela turma em que teve o caso suspeito, encaminhamos as crianças e a professora para atendimento médico e fornecemos o tratamento. Além disso, quem estava em tratamento ficou cinco dias afastado da creche, para evitar que mais crianças contraíssem a doença, caso o resultado fosse positivo, o que não é o caso”, explica.

Segundo Francis Mara, o protocolo é aplicado logo quando há a suspeita justamente para evitar que aconteça uma epidemia e mais crianças e adultos que tem contato direto com elas fiquem doentes.

Agora, a situação já está normalizada e todas as crianças e a professora já voltaram para a creche. Conforme a coordenadora, esse protocolo foi finalizado, mas, se mais um caso suspeito aparecer, um novo protocolo será aberto.

 

Pedido aos pais

Diante deste caso, a secretária de Educação, Claudia Favero pede a colaboração dos pais, para que evitem ao máximo levar seus filhos para a creche caso eles apresentem febre ou sintomas de alguma doença. Essa medida visa evitar o contágio de doenças infecciosas entre as crianças.

A intenção agora é, em parceria com a Vigilância Epidemiológica, realizar um trabalho de conscientização junto aos pais, para que entendam os riscos de deixar os filhos doentes na creche.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais