“Eu preciso deixar meu carro no vizinho porque não passa”, diz morador sobre estradas da Linha Aterro Alto

27 de maio de 2016 14:53
Comunidade , Rural Compartilhar no Whatsapp
“Eu preciso deixar meu carro no vizinho porque não passa”, diz morador sobre estradas da Linha Aterro Alto Estradas causam transtornos na Linha Aterro Alto (Fotos: Patrícia Silva/Lance Notícias)

 

“Há dias que eu preciso deixar o meu carro na casa do meu vizinho, porque não tem como chegar até em casa. Não é mais buraco, são valetas já, não tem como passar. São três anos e meio que esse prefeito está na administração e nenhuma vez, nenhuma mesmo as máquinas passaram pela comunidade de Aterro Alto, é uma vergonha”, comenta o morador Nadir Zonta em relação às estradas que dão acesso à sua casa na Linha Aterro Alto, interior de Xanxerê.

A indignação do morador é tanta que ele tentou arrumar o acesso à sua casa, cerca de um quilômetro da comunidade, com as próprias ferramentas. Mas, pouco adiantou já que choveu e a situação ainda piorou.

“Na última semana eu mesmo peguei um enxadão e joguei terra ali nesses buracos, mas como choveu ficou pior ainda. São três anos que a gente pede para eles vir arrumar e nada. Essa semana inteira eu fiquei tentando falar com o secretário Menegolla para pedir mais vez para eles vir aqui e arrumar e só hoje (sexta-feira, 27) consegui falar com ele. Agora me disse que na próxima semana ele vai vir aqui para ver o que pode fazer”, explica.

Nadir destaca ainda que hoje trabalha na cidade, assim como o cunhado que é seu vizinho. Mas, há alguns meses o irmão trabalhava com produção de leite, porém, devido as estradas abandonou a produção. “Não dava mais, o caminhão não chegava até na casa, então quando chovia tinha que levar os tarros cheios de leite nas costas para carregar no caminhão, no fim ele (o cunhado) se obrigou a abandonar”, finaliza.

DSC_0288

 

Cronograma para arrumar as estradas

Para trabalhar na recuperação das estradas do interior, o Governo do Estado liberou no início deste ano R$ 5 milhões. Avelino Menegolla comenta que as obras também já iniciaram.

“Esse valor é para recuperação de estradas não de máquinas, só de estradas.  A obra já foi licitada, então se iniciou com duas frente, onde no total serão quatro. A nossa vontade era iniciar em todas as comunidades, mas não é possível, então iniciamos na Linha Barro Preto onde a dificuldade era muito grande e na Linha Serrinha. Na Sequência vamos fazer na área da linha voltão e também na Baliza”, explica.

O secretário salienta ainda que os dias de chuva tem atrapalhado o andamento das obras. “ Esperamos que o tempo colabore, se chove em um dia temos que esperar mais dois dias de sol para dar continuidade”, diz.

DSC_0264

DSC_0274

DSC_0276

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais