Família Acolhedora: morador de Xanxerê que faz parte do projeto conta experiência

3 de julho de 2018 10:17
Lance Notícias , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp

Dar amparo, aceitação, amor e a possibilidade de convivência familiar e comunitária são alguns dos objetivos do Programa Família Acolhedora. O projeto consiste em cadastrar e capacitar famílias da comunidade para receberem em suas casas, por um período determinado, crianças, adolescentes, idosos ou grupos de irmãos em situação de risco pessoal e social.

Buscando a capacitação dessas famílias a Secretaria de Assistência Social de Xanxerê, realizou na manhã dessa terça-feira (03) o 1° Encontro para as Famílias Acolhedoras do Município de Xanxerê.

Participaram do encontro cerca de 14 famílias, entre elas estava a de Daniel. Ele acolhe em sua residência duas crianças, uma de 8 e outra de 10 anos. Morador de Xanxerê, Daniel comenta que a ideia de ser uma família acolhedora surgiu após trabalhar em um orfanato.

“Eu sempre fiz trabalhos voluntários para um orfanato e sempre ajudei, mas as relações com as pessoas acabavam rápido e não era isso que eu queria. Com o projeto Família Acolhedora, você acaba mudando realmente a vida das pessoas, tanto do acolhido como da acolhedora, tem muito aprendizado em cima disso”.

Daniel resume que a sua relação com as crianças é um gesto de paternidade. “Apesar de não ser uma adoção é uma maternidade e paternidade temporária, então se acaba ganhando muito no início, aprendendo a como ser pai e mãe e é um processo de aprendizado muito grande, tanto para as crianças que ganham boa educação, bons costumes, quanto para quem reside com os acolhidos. É uma experiência única. Esse projeto é uma evolução da adoção, porque você consegue passar o seu conhecimento para várias crianças e espero que isso seja o futuro do modelo familiar gerando uma união fraternal entre as pessoas”.

O projeto

A coordenadora do serviço da Família Acolhedora, Bruna Czarnovski, explica que a ideia de realizar o encontro com as famílias surgiu para que as mesmas troquem experiências.

“A ideia surgiu de uma iniciativa de juntar as famílias, de unir e passar um conhecimento de forma mais ampla e não específica como já havíamos fazendo que era de família em família. Foram convidadas 14 famílias, nem todas têm adolescentes, idosos ou crianças em sua residência, mas já estão cadastradas e em processo bem avançado, então assim que tiver vamos estar acolhendo nas residências também”.

Os encontros serão realizados mensalmente e as famílias interessadas em se cadastrar devem procurar a Assistência Social do município.

“Quem deseja ser uma família acolhedora, deve procurar a Assistência Social do município, que a equipe técnica do serviço estará lá para dar todas as informações. Vamos promover até o final do ano esses encontros às famílias, repassando mais informações e oportunizando para que elas se conheçam e troquem ideias”, conclui.

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais