Família do xanxerense Arthur Gabriel comemora evolução no tratamento do menino

4 de janeiro de 2019 11:31 | Comunidade , História , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp

O xanxerense Arthur Gabriel, de quatro anos, foi diagnosticado com deficiência femural focal proximal e anamelia fibular ainda durante a gestação. Ele sofre de má formação congênita na perna direita, condição que pode ser revertida com uma série de cirurgias.

Desde então, a família se mobiliza para conseguir realizar todo o tratamento que o menino precisa, inclusive fazendo campanhas com o intuito de arrecadar o montante necessário para custear o tratamento.

Desde o seu primeiro mês de vida o menino tem acompanhamento médico, realizando exames e procedimentos, sendo que já passou por três cirurgias. Agora, a família está otimista com a evolução de seu tratamento, sempre com acompanhamento médico e realizando exames.

– O Arthur está super bem graças a Deus, está mais ativo do que nunca. Estamos fazendo consultas para acompanhamento, por enquanto. Fomos em dezembro e agora vamos em março. Fizemos raio x e os resultados são excelentes, o quadril dele que não era formado, e era muito preocupante, já está bem formado. Ele ainda está usando uma placa no quadril, até calcificar bem. Agora, o médico quer esperar crescer um pouco mais o fêmur para colocar o aparelho para alongar – conta a mãe do Arthur, Stefania Tomasi Zoche.

A esperança da família é que, após todo o tratamento, o menino consiga andar normalmente. Para isso, precisa continuar com as cirurgias até o fim do seu crescimento.

– Ele precisa fazer as cirurgias até o fim do crescimento. Como foi alongado a parte da tíbia, agora falta o fêmur que é onde tem a diferença maior, atualmente cerca de oito centímetros de diferença. O próximo procedimento será este, que ele deve fazer fim deste ano – comenta.

Por enquanto, Stefania comenta que a família já conseguiu pagar toda a parte do tratamento que Arthur já fez. Para a próxima cirurgia, a família aguarda para saber qual será o valor, para definir se será feita uma nova campanha para arrecadação do valor do procedimento.

Arthur hoje, durante o tratamento (Foto: Arquivo Pessoal)


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais