Fila para mamografia em Xanxerê passa de mil mulheres na espera

14 de outubro de 2016 13:11
Comunidade , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Fila para mamografia em Xanxerê passa de mil mulheres na espera (Foto: reprodução/internet)

 

A principal forma de se prevenir um câncer de mama é fazendo o auto-exame ou ainda realizando a mamografia, que deve ser feita anualmente. O exame é indicado para mulheres acima dos 40 anos, onde se for confirmado um câncer, ele será descoberto no início e as chances de recuperação são maiores. Em Xanxerê, cerca de 1200 mulheres estão na fila do exame, por mais de oito meses.

“Nós temos muito a comemorar, mas infelizmente o acesso aos novos tratamentos são muito difíceis através da mamografia periódica, é pior ainda. Hoje em Xanxerê há uma demanda reprimida de mais ou menos 1200 mamografias. São mulheres esperando há mais de 8 meses por um exame que deveria, por lei, ser feito todo ano a partir dos 40 anos de idade. E, isso não é só em Xanxerê, mas no Brasil todo. A Rede Feminina, infelizmente não tem condições financeiras de pagar o exame, mas orientamos as mulheres a se empoderar e ir atrás do seu direito”, comenta a médica Rita Pezzali, e presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Xanxerê.

 

Motivo da demanda

A secretaria de saúde, Cleci Zanin, conversou com a reportagem do Lance Notícias e explicou que o motivo da demanda se deve ao equipamento de mamografia que estava quebrado, mas que já foi consertado e voltou a atender normalmente.

“A paciente que o médico solicita a mamografia é encaminhada para o Hospital Regional São Paulo, onde nós temos a nossa cota. Quando é questão de urgência, que não dá para esperar a gente encaminha pelo consórcio para as clínicas que são credenciadas. Mas, o aparelho de mamografia do hospital estava quebrado e a fila de espera acumulou um pouco, pois os exames foram parados por alguns meses, mas agora o hospital já abriu uma nova cota e os exames deverão ser colocados em dia”, explica.

 

Cota de exames para as xanxerenses

Cleci salienta que na última terça-feira teve uma reunião com o diretor do Hospital São Paulo onde recebeu a boa notícia sobre o conserto do equipamento e que agora as cotas foram aumentadas para os municípios. No total são 550 mamografias realizadas por mês no hospital, este número é dividido entre os municípios credenciados.

“Ainda não sabemos ao certo quantas cotas teremos pois agora está se realizando todo o levantamento de quantas cotas cada município necessita, mas antes nós já tínhamos cerca de 120 por mês, agora este número deve ficar ainda maior”, finaliza Cleci.

Por meio da assessoria de imprensa, o Hospital Regional São Paulo confirmou que ficou alguns dias com o equipamento parado devido a necessidade da vinda de uma peça de fora. Porém, que desde o início do mês de outubro os atendimentos foram retomados.

Câncer de Mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, respondendo por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais