Grupo de apoio inicia trabalho com alcoólicos em Xanxerê

6 de fevereiro de 2018 11:31
Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Grupo de apoio inicia trabalho com alcoólicos em Xanxerê Fotos: Alessandra Bagattini/Lance Notícias

Ainda em janeiro, comerciantes e taxistas que atendem no Terminal Rodoviário Sady Cavalheiro Marinho de Xanxerê, procuraram o LANCENOTICIAS.com.br, para pedir por mais segurança no local. A reclamação é referente aos moradores de rua e indígenas que frequentemente estão alcoolizados e ficam na Rodoviária.

Em busca de resolver a situação, a Assistência Social, por meio do CREAS de Xanxerê, está realizando ações paliativas que visam a conscientização dessas pessoas. “Nós já realizamos os levantamentos das demandas, da quantidade de moradores de rua que estão no local. Destacamos que a maioria não é morador e sim, só estão em situação de rua. Eles têm casa para morar, saem de manhã e voltam só a noite. Mas estamos com os serviços. Iniciou nesta segunda-feira (05), um grupo de situação de rua, mas só com dois integrantes. Eles não querem aderir ao serviço”, explica Jussara Edi Pulga Mendo, Assistente Social do CREAS.

A Assistente Social explica ainda que muitas das pessoas não aderem ao serviço, pois não aceitam que estão doentes. “Nós ofertamos o serviço, mas o aderir ou não, depende deles. O grupo de situação de rua, só está com dois integrantes. Porque eles não querem aceitar que estão doentes, até porque o alcoolismo é doença. Nós temos uma resistência muito grande para fazer com que eles participem do serviço”.

Indígenas

Em relação aos indígenas, Jussara comenta que a responsabilidade é da Funai. “Nós recebemos bastante ligações que eles estão brigando, aprontando, mas, nesse caso a Polícia Militar deve ser acionada. Nós esbaramos no direito de ir e vir. Se eles estiverem fazendo alguma coisa errada, a Polícia Militar que deve ser acionada. As ações que são realizadas, visam a conscientização das pessoas. Recebemos muitas ligações sobre os indígenas e isso a Assistência não atende, nós só podemos ligar para a Funai”, conclui.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais