Homem conta os desafios de ser portador do HIV

30 de novembro de 2017 11:16
Comunidade , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Homem conta os desafios de ser portador do HIV Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias

“O que mata não é vírus e sim o preconceito e o medo”. Esse o resumo de um morador de Xanxerê, que é portador do vírus HIV/AIDS. Com 44 anos, ele descobriu a doença há oito anos e hoje segue a vida normalmente.

O homem, que prefere não se identificar, comenta que descobriu a doença, ao realizar um exame. “Eu descobri que estava com a doença, porque eu tive uma doença infeciosa mais avançada e só descobri porque eu fiz os exames, eu tinha muito medo de fazer exames, mas fiz porque foi exigido”.

Ao descobrir a doença, o homem destaca que passou por sérios problemas psicológicos e o mais difícil foi aceitar que era portador do vírus. “Eu entrei em depressão, chorei muito, fiquei muito assustado e só depois de receber acompanhamento, eu comecei a aceitar. Mas graças a Deus eu dei a volta e hoje sigo uma vida normal”.

A mudança em sua vida foi radical, afinal ele precisou encarar a vida de uma forma diferente. “No começo foi muito complicado e eu consegui controlar a carga viral graças ao medicamento, depois disso eu comecei a ver a vida de uma forma diferente”.

O homem orienta para as pessoas que estão descobrindo a doença agora, que não pode ter medo e é preciso lutar.  “Para as pessoas que estão descobrindo a doença agora, não precisa ter medo, é preciso lutar e buscar tomar a medicação certa, se não tomar piora e por experiência própria, é preciso ter cuidado com as relações sexuais”.

O preconceito da população em geral, faz que o homem esconda que possui a doença. “O que mata é o preconceito e o medo. A falta de conscientização da população para ter conhecimento sobre isso, faz com que, quem é portador da doença, queira esconder, porque a pior coisa que passamos é ser descoberto e passar por preconceito”.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais