Hortifrútis devem apresentar informações sobre procedência por meio do QR Code

A norma exige que produtores façam a rastreabilidade dos alimentos que chegam à mesa do consumidor, apresentando informações sobre a forma, o cultivo e o uso de agrotóxicos

11 de setembro de 2019 09:39 | Visualizações: 185
Agricultura , Comunidade , Economia , Infraestrutura , Meio Ambiente , Negócios , Rural , Saúde , Tecnologia Compartilhar no Whatsapp
Hortifrútis devem apresentar informações sobre procedência por meio do QR Code Foto: Mauricio Armani

Os consumidores estão cada vez mais exigentes quando o assunto é se alimentar bem e de maneira saudável. Para isso, a procedência dos produtos deve ser assegurada e repassada ao consumidor final quando o produto está exposto nas gôndolas. E essas informações são repassadas por meio de um QR Code nas embalagens.

A fiscalização é feita pelo Ministério da Agricultura em conjunto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O objetivo é identificar os produtores e saber como foram cultivados os alimentos.

Foto: Mauricio Armani

Mauricio Armani, produtor de hortaliças em Xanxerê e Faxinal dos Guedes já usa dessa ferramenta há quase um ano. Segundo ele, essas informações trazem mais segurança ao consumidor quanto a procedência dos produtos.

– Temos um caderno de campo e tudo é anotado, se é usado algum tratamento, quem produz, o tempo de produção, enfim. Achei bem interessante esse método porque há um controle maior sobre o tratamento. Agora tem que ter um cuidado muito grande porque as consequências são grandes. Eu quase não uso agrotóxicos, só mesmo quando as pragas atacam – comenta Mauricio.

A rastreabilidade já estava prevista em lei e agora passa a ampliar os dados para todos os vegetais, frutas e produtos consumidos in natura. Os alimentos devem estar identificados com nome, variedade ou cultivar, quantidade do produto recebido, identificação do lote e data de recebimento do produto. Caso ocorra alguma fiscalização, será possível identificar, inclusive, os defensivos agrícolas usados na produção.

Mauricio atende Xanxerê e Faxinal dos Guedes diariamente, chegando a 900 pacotes por dia, chegando a 1.600 aos sábados. Ele está partindo para a produção hidropônica e defende a utilização do QR Code para todo e qualquer fim de informação, seja consumidor, quanto empresário e até mesmo para controle de fiscalização.

Foto: Mauricio Armani


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais