Hospital de Xanxerê teve lotação de 90% no último trimestre na UTI Neonatal

10 de julho de 2019 08:42 | Visualizações: 692
Saúde Compartilhar no Whatsapp
Hospital de Xanxerê teve lotação de 90% no último trimestre na UTI Neonatal Foto: Cristine Maraga/HRSP

O Hospital Regional São Paulo de Xanxerê (HRSP) é referência nos atendimentos da UTI Neonatal. São dez leitos regulamentados pelo Estado e sempre há lotação máxima mensalmente. O HRSP faz avaliação no trimestre e nesse último balanço chegou a 90% de lotação na UTI Neonatal.

Conforme a gerente da enfermagem do HRSP e membro da Rede Cegonha, Michele Suzana Fernandes, somente no mês de maio foram realizados 120 partos, sendo que desses, 17% foram prematuras e 15% foram para a UTI Neonatal. Ela ressalta que bebês que são atendidos podem permanecer de 18 até 120 dias, dependendo da necessidade de acompanhamento dos profissionais,

– A gente sempre tem oscilação na UTI Neonatal porque tem bebês que ficam pouco ou muito tempo, chegando a 120 dias, então a UTI Neonatal está sempre lotada. Hoje, nós temos 10 leitos e, como a ocupação é regulada pelo estado, já tivemos bebês inclusive do Paraná e Rio Grande do Sul. Se tiver bebês que necessitem de uma atenção maior na nossa UTI Neonatal, aqueles com capacidade de ser repatriados eles voltam para uma UTI mais próxima da sua cidade – explica Michele.

Além de oferecer esses leitos, o HRSP também possibilita que as mães ou os pais fiquem com seus filhos 24 horas, além de possibilitar que familiares visitem os bebês prematuros.

– Existe uma lei que determina que as UTIs têm que ter essa disponibilidade, mas sabemos que nem os hospitais contam com espaço para isso. A mãe ou o pai pode ficar 24 horas dentro da UTI, fazendo esse revezamento e esse tempo que a pessoa acompanha o bebê ela recebe alimentação, roupa e ainda participa de diversas atividades com grupos de apoio dentro do hospital – ressalta a gerente de enfermagem.

O HRSP é referência em todo o Oeste e Extremo-Oeste Catarinense, mas a superlotação, inclusive no Hospital Regional do Oeste de Chapecó, fez com que o promotor Alexandre Volpatto entrasse com uma ação para que o governo implante UTI Neonatal no Hospital Regional Gaio Basso de São Miguel do Oeste. De acordo com o promotor, atualmente o Estado oferece apenas vagas para 0,16% dos nascidos no Grande Oeste.


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais