Investigações referentes as doações do tornado estão em fase final 

15 de dezembro de 2017 09:57
Comunidade , Tornado , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Investigações referentes as doações do tornado estão em fase final  Foto: Sirli Freitas/Agência RBS

 

A investigação das doações do tornado que atingiu Xanxerê no ano de 2015, que está sendo realizada pelo Ministério Público, está em fase final. Na última semana, foi publicado um decerto que dispõe sobre a destinação do saldo remanescente das doações em dinheiro e da motocicleta, recebidos pela Campanha “Xanxerê Solidária”.

O Promotor de Justiça, Marcos Augusto Brandalise conversou com a reportagem do LANCENOTICIAS.com.br e explicou que em relação a doação da motocicleta será necessário fazer uma nova licitação.

“Em alguns dos procedimentos estamos na reta final. Em relação a questão do dinheiro da moto, foi editado um decreto, foi editada uma comissão e está sendo promovida a destinação do dinheiro. A questão da moto demora um pouco mais porque será necessário fazer uma nova licitação. Em relação a esse ponto estamos em acompanhamento para a fase final. Depois disso, a comissão terá que apresentar um relatório com os nomes das pessoas que foram beneficiadas e nós vamos visitar algumas pessoas, para conferir se foi recebido”.

Em relação ao servidor público que teria sido beneficiado sem ter sido atingido, foi comprovado que a residência do mesmo foi atingida pelo tornado. “Nos apuramos e por meio de um documento, que ele foi atingido, mas mesmo assim ainda vamos ouvi-lo e fazer vista in loco”, diz o Promotor.

Referente as pessoas que receberam doações e também a casa modular, até o momento não foi comprovada a irregularidade nesta situação. “Com relação as pessoas que receberam a casa modular e também material, nós percebemos que o decreto que regulamentava a situação é de outubro, seguimos com a investigação, mas não conseguimos apurar qual foi a irregularidade disso”.

Sobre o remanejamento das entradas e saídas de doações, os laudos que foram elaborados por engenheiros serão analisados.

“Em relação a entrada e saída de materiais, já ouvimos várias pessoas em relação a esse procedimento. Recebemos um novo cálculo, pois notificamos também os membros da CPI, e foi apresentado um novo cálculo, readequado, sendo o mesmo que o do Ministério Público. Agora vamos analisar os valores de saída. Nós fomos saber quem que havia preenchido os relatórios e qual era a fonte. Nós identificamos que havia um programa que era alimentado pelas pessoas que estavam na Femi. Chegamos à conclusão, depois das oitivas, que esse programa não era devidamente alimentado, então nós teremos que ir atrás dos laudos dos engenheiros, que é procedimento que está sendo feito agora”.

O próximo passo é conferir os laudos que a CPI não analisou, para ter os dados referente aos materiais doados.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais