Juntos há 50 anos, casal de Xanxerê divide a música como amor em comum

29 de janeiro de 2019 15:30
Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Juntos há 50 anos, casal de Xanxerê divide a música como amor em comum Fotos: Arquivo Pessoal

Um amor em comum: a música. Além disso, o segredo para os 50 anos de união é: fidelidade e companheirismo. Assim de resume parte da vida de Margarida e Arlindo Francisco Accadrolli. O casal se conheceu em Chapecó, mas é em Xanxerê residem atualmente.

Margarida diz que tudo começou quando Arlindo se mudou do Rio Grande do Sul para Santa Catarina. Ao chegar aqui, ele comprou um clube e ficou vizinho da família de Margarida.

– Eu nasci no interior de Chapecó e ele no interior do Rio Grande do Sul. Ele veio para Santa Catarina, comprou um clube do meu pai e nós éramos vizinhos. Ele conta que sempre me admirou – diz.

Com pouco mais de dez anos de diferença, o casal conviveu junto durante toda a juventude e o amor, com o passar dos anos, despertou, e desde então, só aumenta.

– Teve uma época que meu pai foi embora para o Paraná e ele ficou morando ali. Ele disse que nesse período ficou com medo de me perder. Mas, eu digo que quando é para ser, não adianta. Eu acredito em destino, tanto que somos casados há 50 anos e temos uma família linda. É um tempo de muita união e fidelidade. Nós vivemos felizes e muito bem – cita.

Amor pela música

Margarida é apaixonada por música desde de sua infância e, depois de casada, o amor despertou de vez. Tanto que agora ela se dedica para aprender a tocar gaita.

– Ele gosta muito de cantar e eu sempre tive muita admiração por música e principalmente por acordeão, a gaita. Esse é o instrumento que mais gosto e sempre admirei. Sempre quis aprender e em uma ocasião, viajei e quando voltei ele havia comprado um acordeão e tinha contratado um professor. Foi então que comecei com as aulas – comenta.

Desta forma, o casal se diverte, uma vez que Arlindo é apaixonado por violão e por cantar.

– Eu ainda não aprendi 100%. É um sonho e tudo o que queremos, conseguimos. Ele sempre toca violão, é apaixonado por isso, agora eu vou aprender para acompanhá-lo – destaca.

Margarida tem 69 anos e Arlindo 79. Segundo ela, a sua família é a benção divina.

– Temos duas filhas, quatro netos e dois genros, que são os filhos homens que não tivemos – conclui.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais