Lance Jurídico: O que votos brancos, nulos e as abstenções têm a revelar!

7 de outubro de 2016 07:23
Comunidade , Lance Jurídico , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp

 

opcao-2_-alterado

No ultimo domingo, os eleitores de Xanxerê foram às urnas, mas muitos não optaram por nenhum dos candidatos eleitos.

Somados os votos brancos, nulos e as abstenções, indicam desinteresse pela eleição ou rechaço às opções disponíveis. Em Xanxerê, o número de eleitores que votaram em branco, nulo e não compareceram as urnas é um RECORDE!

Existe uma diferença entre votos nulos, brancos e as abstenções que muitos eleitores desconhecem, quais sejam:

Votos brancos e nulos: é quando o eleitor vai à urna, mas decide não eleger candidato algum. Os votos nulos, assim como os brancos, não são computados como válidos. O voto em branco/nulo não é direcionado para o candidato que está na frente.

Abstenções: quando o eleitor simplesmente não comparece à urna no dia da eleição (e precisa justificar depois). Nesses casos, os eleitores que não compareceram para votar perderam a oportunidade de escolher seus representantes, delegando a outros o direito de escolher as pessoas que irão governar em nome de todos.

Dentro da porcentagem de abstenções, encontram-se os eleitores jovens com idade entre 16 e 18 anos e idosos com idade superior a 70 anos, em que o voto é facultativo.

Assim, nenhum desses itens é capaz de, sozinho, indicar desencanto com a política. Porém, eles podem dar pistas sobre a relação dos eleitores com os candidatos e com o sistema político como um todo.

Sobre a eleição municipal de 2016, percebemos que há sinais de desinteresse e afastamento do eleitor muito maior agora do que antes.

Xanxerê mostra uma alta em relação à eleição passada. Foram 2.608 votos brancos e nulos em 2016, equivalente a mais de 9% de eleitores xanxerenses que compareceram as urnas, quase três pontos percentuais a mais do que em 2012.

grafico-1

Dados do TSE

 

Abstenções e um recorde

Em 2016, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, considerou o índice de abstenção 17% “relativamente baixo”, embora tenha dito que o ideal deveria se situar ao redor dos 5%.

Em Xanxerê a abstenção foi recorde. Atingiu quase 17% do eleitorado, no maior índice registrado em eleições municipais na história recente. Foram mais de três pontos percentuais na comparação com quatro anos atrás.

Eleições municipais

grafico-2

Dados TSE

Em números absolutos, se somarmos abstenções (5.735) com os votos em branco (1.128) e nulos (1.480), chega-se a um número muito próximo (8.343) aos votos dados ao prefeito eleito Avelino Menegolla que obteve 9.914 votos.

A relação entre abstenção e desilusão política não é tão simples quanto parece. Pois além do eleitor que não quis votar, temos um número incerto de eleitores falecidos que não foram excluídos dos registros eleitorais, os eleitores que simplesmente estavam fora de seus domicílios eleitorais no dia da votação ou dos eleitores que têm voto facultativo, como os idosos com mais de 70 anos e os jovens com idade entre 18 e 16 anos.

Essa porcentagem, se acentuou recentemente, depois dos escândalos de corrupção, lava-jato e mensalão, fazendo com que os eleitores não se sintam estimulados a acompanhar os projetos dos candidatos e até mesmo o trabalhado dos vereadores e prefeito eleitos.

 

 


Por: Direto da Redação

Deixe seu comentário

Saiba Mais