Mais de 700 troféus: cantora de Xanxerê recorda participação no Programa do Silvio Santos

10 de outubro de 2018 09:08 | Cultura , região , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Mais de 700 troféus: cantora de Xanxerê recorda participação no Programa do Silvio Santos Foto: Karina Ogliari/LanceNoticias

Salete Maria Mafessoni entrou no ramo da música desde muito cedo. Natural de Chapecó, ela conta que aos cinco anos de idade seu pai a levava para cantar em um programa gauchesco. Conforme avançava sua idade, a música se fazia cada vez mais presente, e aos 11 anos, começou a participar de outro programa aos domingos de manhã, uma apresentação de calouros.

Na vinda para Xanxerê, Salete montou uma banda com seu irmão, e deu segmento ao sonho de cantar. Entre os ensaios e apresentações com a banha, havia os festivais, em vários estados, que Salete fazia questão de participar e levar os troféus de primeiro lugar. Salete explica que tem facilidade para cantar em várias línguas: inglês, espanhol, italiano… mas se preocupa com as letras, “Meu repertório é seletivo, não canto qualquer música, a letra tem que ter uma mensagem”.

Em 1972, Salete estava com 16 anos e após vencer um concurso de música em quatro etapas, surgiu a oportunidade de participar no programa do Silvio Santos no SBT. “Cheguei para me apresentar muito simples, de laço no cabelo e desbanquei uma menina que estava se apresentando no programa há três semanas, e ninguém conseguia tirar ela, até eu chegar e me apresentar”, conta Salete. Ela explica que depois de ganhar a competição, foi convidada a ficar no SBT, para fazer participação no programa mas preferiu voltar para Xanxerê.

Ela explica que não poderia abandonar a banda com o seu irmão, havia muitos contratos para cumprir, além da tristeza de deixar sua família. “Para mim o mundo da TV era um mundo que não me cabia, eu queria cantar, mas não queria aquela confusão, queria cantar para o meu mundo”.

Apesar da desistência do programa, Salete continuou participando de todos os festivais que apareciam, e levando o primeiro lugar. “Quando eu chegava o pessoal já fazia cara de decepcionado”, conta Salete entre risos. Foram mais de 700 troféus conquistados, de primeiro e segundo lugar, guardados carinhosamente como recordação.

Em 1974 Salete iniciou os trabalhos como apresentadora em rádio, os quais está dando continuidade até hoje, mas este meio de comunicação sempre esteve presente ao longo de sua vida. “Quem tem o poder de comunicar cantando tem o poder de comunicar falando”. Salete explica que o rádio exige muito, para cantar você tem um repertório pronto para falar, mas o rádio é imprevisível, você tem ouvintes para agradar, deve se renovar constantemente e aceitar sugestões”.

Hoje, Salete continua cantando quando surgem novos festivais. “Eu amo cantar, participei de mais de 25 carnavais e festas de debutante em Xanxerê, mas fazer rádio é o meu doce”, finaliza Salete.


Por: Karina Ogliari

Deixe seu comentário

Saiba Mais