Médica esclarece dúvidas sobre as hepatites A, B e C

14 de maio de 2019 16:01 | Visualizações: 1513
Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Médica esclarece dúvidas sobre as hepatites A, B e C Dra. Carine Kolling é Infectologista e Clínica Geral (Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

As Hepatites são doenças virais que significa inflamação no fígado. As principais são Hepatites A, B e C. Para esclarecer algumas dúvidas, a infectologista Carine Kolling de Xanxerê concedeu uma entrevista ao Lance Notícias onde explica a diferente entre elas.

 

A Hepatite A é a mais simples, que a pessoa pode ter um mal estar geral e pode se curar por conta própria. Ela é transmitida basicamente pelas fezes da pessoa contaminada e mais predominante em locais que não possuem tratamento de saneamento básico.

A Hepatite B é um pouco diferente, de alta infectividade. Se a pessoa tem o contato com o vírus tem até 30% de chance de pagar a hepatite B, ela é transmitida principalmente pela via sexual e contato com materiais cortantes e também da mãe para o bebê. Na maior parte dos casos a gente consegue superar a doença sem medicação. O vírus fica latente no fígado e em algumas ocasiões se a pessoa tem baixa imunidade ela pode se manifestar. Cerca de 20% dos casos evoluem para inflamação crônica e pode evoluir com lesão hepática, inflamação e cirrose ao longo do tempo. O tratamento melhorou nos últimos anos. E a prevenção se dá pela vacinação que é segura e o uso do preservativo.

A Hepatite C ela é diferente, transmitida pela via parenteral, ou seja, precisa do contato com o sangue. Há um risco aumentado para quem usa drogas injetáveis, homens homossexuais, por acidente com material biológico, transplante de órgãos e da mãe para o bebê. A chance de cura espontânea é baixa, de 20%. Ela é uma causa mundial de mortalidade, pois se não tratada evolui para cirrose e câncer de fígado, além de diminuir muito a qualidade de vida dos pacientes.

É importante ressaltar que o paciente deve sempre buscar orientação de um profissional qualificado.


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais