Método Canguru é tema de palestra aos colaboradores do Hospital Regional São Paulo

6 de julho de 2017 13:12
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Método Canguru é tema de palestra aos colaboradores do Hospital Regional São Paulo Foto: Divulgação

Colaboradores de diferentes setores do Hospital Regional São Paulo, de Xanxerê, participaram nesta quarta-feira (05) de uma palestra sobre o Método Canguru. O evento, que demonstrou os benefícios proporcionados pela técnica, foi organizado pelas tutoras do projeto, a enfermeira Kelyn Machado, e a coordenadora de enfermagem, Vanessa Piccoli. O Método Canguru é reconhecido pelo Ministério da Saúde e desenvolvido no HRSP desde junho de 2015. É um modelo de assistência perinatal voltado para melhoria da qualidade do cuidado ao recém-nascido a partir do princípio da atenção humanizada.

A posição canguru consiste em manter o recém-nascido contra o peito da mãe ou do pai, visando os benefícios do contato pele-a-pele.  Conforme a coordenadora de enfermagem, os benefícios do Método Canguru são muitos. “Reduz os dias de internação hospitalar, isso comprovado por meio de estudos científicos. Automaticamente, contribui para a redução do risco de infecção hospitalar, em função do recém-nascido passar menos dias internado. Contribui para o ganho de peso, favorece a amamentação e o vínculo entre mãe e bebê. Permite o controle térmico adequado do bebê, além de reduzir o estresse e a dor do recém-nascido”.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), em todo o mundo, nascem anualmente 20 milhões de bebês prematuros e de baixo peso (menores de 2,5kg). Destes, um terço morre antes de completar um ano de vida. O Método Canguru é uma estratégia que busca reverter esta realidade. No Brasil, iniciativas assim começaram a ser desenvolvidas em 1991, trazendo mudanças de comportamento no cuidado da mãe e bebê.

Capacitação

Na próxima semana, os profissionais da UTI Neonatal, Pediatria e Ala Lactantes devem passar por um de treinamento de 30 horas para reforçar os conhecimentos. “O curso vai ser bem específico para a assistência do recém-nascido com o método e a posição canguru. Além de todos os cuidados e informações que devem ser repassadas aos pais”, explica Vanessa.

O Hospital Regional São Paulo é a única instituição que utiliza dessa tecnologia de saúde na região. Por isso, formações continuadas são uma exigência. A Rede Cegonha – uma rede de cuidados com a mulher e o recém-nascido, criada pelo Ministério da Saúde – preconiza que, pelo menos, 80% dos colaboradores que prestam assistência direta ao recém-nascido de baixo peso devem receber o treinamento.

Assessoria de Imprensa HRSP


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais