Ministério Público investiga atuação do Pronto Atendimento de Xanxerê

5 de julho de 2018 09:36
Comunidade , Lance Notícias , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Ministério Público investiga atuação do Pronto Atendimento de Xanxerê Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias

O Ministério Público de Xanxerê, por meio da 2ª Promotoria de Justiça está investigando os serviços de atuação do Pronto Atendimento de Xanxerê. De acordo com o promotor Marcos Augusto Brandalise, é necessária a averiguação devido à grande demanda que está sendo atendida pelo hospital do município.

“Tem uma demanda muito grande no hospital e de acordo com a triagem que é feita, a unidade vai atender casos que são urgentes e de emergência e são esses casos que serão prioritários. O que temos identificado é que tem pessoas que procuram o hospital porque acham que lá tem médicos melhores do que na unidade básica de saúde. Tem muitas pessoas que pela demora na unidade básica, vão para o hospital, e isso acaba gerando essa demanda, que o hospital está absorvendo”, explica.

Ainda segundo o promotor é necessário entender qual a atuação do Pronto Atendimento no município, em relação ao atendimento dos pacientes.

“No pronto atendimento, temos que descobrir o que ele é. O que estamos investigando, ou seja, o maior problema que o MP identifica na área da saúde é a definição do pronto atendimento 24h. O motivo pelo qual mudou o horário, porque não atende urgência e emergência e como estabiliza a situação. O município, a partir do momento em que ele decide adequar a unidade de pronto atendimento ele tem essa responsabilidade. Ele não atende mais 24h então ele não é pronto atendimento. Isso vai precisar ser adequado para atender como pronto atendimento. Essa situação gerou um círculo vicioso. Está faltando definir o que é o pronto atendimento”.

Outro ponto que também foi identificado pelo Ministério Público, foi a falta de troca de informações. “As unidades precisam conversar para evitar esse problema de pessoas indo em todos os lugares em busca de atendimento. Então o diagnóstico que temos, que está em fase de apuração para tomar as medidas, é esse. Temos uma super demanda atendida pelo hospital em decorrência disso, então precisa se resolver essa situação”.

Reuniões já foram realizadas com o objetivo de resolver a situação. “Nós já tivemos uma reunião com a secretária de saúde para definir isso. Fizemos reuniões com hospital, vamos tentar resolver isso. E no segundo momento, quando resolvermos, vamos sentar com o hospital e fazer a divisão de demanda”, conclui.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais