Momento Coach: os cinco pilares da inteligência emocional

4 de fevereiro de 2019 07:41 | Coluna Momento Coach , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Momento Coach: os cinco pilares da inteligência emocional

No mundo corporativo em constante evolução é realidade o auto grau de competitividade, levando tanto empregados quanto empregadores a desenvolver habilidades de caráter emocional, como relacionamentos interpessoal, intrapessoal e automotivação.

Mudanças tem ocorrido nesta nova era, onde nem sempre ter um Quociente de Inteligência (QI) elevado é diferencial, hoje é muito mais valorizado o ser humano, através do amadurecimento da Inteligência Emocional, onde tem sido comprovado maiores índices de sucesso profissional.

Segundo Daniel Goleman para ser emocionalmente maduro é necessário desenvolver cinco pilares da Inteligência Emocional, sendo que o primeiro é a base para os demais.

1 – Autoconsciência

Gerar autoconsciência é perceber quando suas emoções estiverem acontecendo, identificar o sentimento de raiva enquanto estiver acontecendo. Ter esta percepção é a base de tudo, pense comigo… Como você vai administrar sentimentos de fúria, medos e tristeza se não tiver consciência deles? Já dizia “Sócrates: Conhece-te a ti mesmo”! Este é o primeiro passo para administrar as próprias emoções.

2 – Administração das próprias emoções

Para quem busca uma boa Inteligência Emocional, lidar com as próprias emoções é a segunda habilidade a ser desenvolvida.  É utilizar mindset para combater qualquer tipo de sentimento inaceitável e manter-se no autocontrole das emoções.  Por sermos seres humanos, dotados de sentimentos, naturalmente surgem situações adversas que nos fazem mudar de humor, mas a gestão emocional consiste em controlar as emoções, mesmo diante de fatos inusitados. Uma técnica infalível para tal situação é utilizar o DCD – Duvidar, Criticar e Determinar.

3 – Automotivação

Como somos autores da nossa própria vida, precisamos utilizar o conhecimento a nosso favor para nos manter sempre motivados, o que não é   tarefa fácil, mas é um grande diferencial. O significado de MOTIVAÇÃO é “motivo para ação”, neste contexto podemos dizer que o autoconhecimento e o entendimento de si mesmo são importantes para saber quais os fatores que de fato nos motivam. Normalmente queremos duas coisas: fugir da dor e buscar prazer, neste contexto faz-se necessário clarificar os medos e as fontes de prazer, após ter clareza fica mais fácil combinar ambos para buscar uma meta mantendo a motivação. Reflita e elenque quais são seus maiores medos e suas maiores fontes de prazer e administre-as, essa é a chave para manter-se motivado.

4 – Consciência das emoções do outro

Já ouviu falar de empatia? A definição que eu gosto de empatia é “calçar o sapato do outro” e este é o ponto crucial da inteligência emocional, saber o que o outro pensa e desenvolver um olhar sob o ponto de vista do outro, esta é uma habilidade emocional, intuitiva e analítica, pessoas altamente empáticas e altruístas costumam estar em cargos de liderança justamente por ter habilidade em lidar com as pessoas.

5 – Administração do impacto das emoções do outro

Conforme vamos desenvolvendo gestão emocional, mais vai sendo exigido de nós e neste cenário observamos uma mistura entre o item 2 e o 4 citados acima. Já não é fácil lidar com o a raiva que sentimos, imagina controlar o impacto da raiva do outro em nós. É fato que não podemos controlar a raiva do outro, mas o impacto deste sentimento em nós é perfeitamente controlável. Esta é uma habilidade interpessoal que exige muita paciência, calma e empatia, para entender quais as causas que levaram a outra pessoa a desequilibrar emocionalmente. De todos os pilares citados consideramos este um dos mais difíceis, porém necessário para que sejamos competitivos e melhores profissionais. As corporações estão levando em consideração este pilar e nos testes de aptidão para vagas, este comportamento tem sido avaliado com maior peso para decisão de contratação. Somos seres civilizados e para melhorar ainda mais o convívio social precisamos melhorar esta habilidade, isto nos tornará diferenciados no mercado de trabalho.

Conclui-se que…

Para que seja possível desenvolver inteligência emocional é necessário avaliar dois comportamentos e monitorá-los constantemente: autoconhecimento e auto-observação. Feito isso seremos muito mais aptos a desenvolver os pilares e consolidar relacionamentos saudáveis.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais