Morte de macaco por febre amarela deixa Estado em alerta para o vírus da doença

11 de agosto de 2019 15:30 | Visualizações: 286
Comunidade , Saúde Compartilhar no Whatsapp
Morte de macaco por febre amarela deixa Estado em alerta para o vírus da doença Foto: Divulgação

Foi confirmada na última semana mais uma morte de macaco por febre amarela no Estado. Até agora, somente neste ano, a Dive/SC já registrou quatro mortes nos municípios de Indaial, Garuva, Joinville e o último caso em Jaraguá do Sul. O óbito de um bugio foi no dia 21 de junho e a Dive reforça que os macacos não transmite a febre amarela. Eles são vítimas da doença e sinalizam a circulação do vírus na região.

Com base nisso, a Vigilância Epidemiológica de Xanxerê orienta a população da região caso avistem macacos mortos em meio a mata. É somente com a coleta da carcaça que é possível identificar a morte do animal e também prevenir a população em caso da circulação do vírus.

– A febre amarela é uma doença infecciona aguda e viral e foi registrado no último boletim da Dive/SC o total de 48 suspeitos, sendo 45 descartados, dois óbitos e um ainda em investigação. Os dois óbitos são das cidades de Itaiópolis e Joinville. Porém nossa preocupação também é com a morte de macacos, porque eles são hospedeiros, são vítimas tanto quando nós humanos, porém eles sinalizam para nós que o vírus pode estar circulando. Então a gente sabe que na região de Xanxerê existem muitos macacos e a orientação e alerta à população é para que se avistarem um macaco morto que entrem em contato com a Vigilância através do telefone 3441-8592 – comenta a coordenadora do setor de Vigilância Epidemiológica de Xanxerê, Francis Mara Zago Pegoraro.

 

Vacinação

Santa Catarina se tornou Área com Recomendação de Vacinação contra a febre amarela (ACRV) no segundo semestre de 2018. Desde então, a Dive/SC está reforçando a importância da imunização contra a doença e intensificando a vacinação para alcançar a meta de 95%.

Precisam se vacinar crianças a partir de nove meses e adultos até 59 anos, com apenas uma dose da vacina. Essa é a única forma de prevenção contra a doença. Em Xanxerê, seis unidades de saúde realizam a imunização, sendo: Hélio Ortiz, Vista Alegre, Vila Sésamo, Nossa Senhora de Lourdes, Castelo Branco e Esportes. O atendimento é feito das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h de segunda a sexta-feira.

 

Sintomas

Os principais sintomas da doença são: febre; calafrios; dor de cabeça intensa; dores nas costas; dores no corpo em geral; náuseas e vômitos; fadiga e fraqueza. Alguns melhoram após esses sintomas iniciais. No entanto, entre 15% e 60% das pessoas que apresentam esses sintomas evoluem para a forma mais grave da doença. Nos casos graves, a pessoa pode desenvolver algumas complicações como febre alta; coloração amarelada da pele e do branco dos olhos; hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal); e eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Destes que apresentam sintomas mais graves, entre 20% e 50% podem morrer.


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais