Movimento Sem Terra completa um ano de ocupação no interior de Xanxerê

22 de agosto de 2017 10:19
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Movimento Sem Terra completa um ano de ocupação no interior de Xanxerê Assentamento Marcelino Chiarello (Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

Neste dia 22 de agosto, completa um ano de ocupação dos membros do MST, nas terras do Acampamento Marcelino Chiarello, entre as comunidades de Vargem Bonita de Xanxerê e Santa Laura, de Faxinal dos Guedes.

O grupo já realiza no local, o consumo de alguns produtos que foram plantados. Alvaro Santin, que faz parte da Coordenação Estadual e Nacional do MST, destaca que cerca de 300 famílias vivem no local.

“Nós já fizemos uma safra, foi em torno de 80 hectares, que o pessoal conseguiu plantar. Colhemos bem e estamos consumindo. Agora, iniciamos os plantios desse ano, de alho, cebola, hortaliças. E isso está sendo feito, porque o propósito do movimento das famílias é a produção”.

Santin diz também que hoje as famílias já estão encaminhadas, sendo que as crianças frequentam as escolas e os membros tem recebido atendimento médico. “Hoje estamos em uma faixa de 300 famílias, as crianças já estão estudando está tudo correndo bem, tudo certo”.

A luta é para conseguir a desapropriação das terras, já que o grupo diz que as terras da Fazenda Prezzotto, são do Incra e, por conta disso veem grande possibilidade de conseguir realizar a reforma agrária no local.

“Nós estamos aguardando a decisão final do Incra no sentido de retomar o domínio dessa área, para fazer o assentamento. Já realizamos várias reuniões. No dia 8 de junho, nós tivemos uma, onde conversamos com a comissão dos diretos humanos, e se deliberou a documentação para geração de posse, onde será realizada a avaliação das benfeitorias. Então existem duas soluções, uma é buscar um acordo e, se não tiver um acordo o Incra passará a executar a ação, depositando em juízo, pegando a emissão de posse da área e passando para ser realizada a posse agraria”.

Agradecimentos

Santin agradece o apoio que o movimento tem recebido da comunidade, segundo ele, isso é essencial.

“Gostaríamos de destacar o apoio que recebemos da sociedade que tem sido muito importante, em nome do movimento, agradecemos e reconhecemos, de coração, a todos e todas que de uma maneira ou de outra tem nos ajudado. São muitas pessoas de Xanxerê e Faxinal dos Guedes, que nos dão apoio e muita solidariedade. Gostaríamos de agradecer”, finaliza.

O assessor parlamentar do Deputado Neodi Saretta, destaca algumas ações que são desenvolvidas no local.

“Conheço o acampamento e a organização das famílias que lá estão, a organização, limpeza, o respeito entre as pessoas e respeito à natureza são algumas das qualidades. Há muito preconceito com relação ao MST, pois muitas vezes só sabem e falam sobre aquilo que a mídia ou as pessoas mal intencionadas falam e que se conhecessem a realidade, talvez mudassem de opinião. Um exemplo são os comerciantes de Faxinal dos Guedes e Xanxerê, que só tem a ganhar com o futuro assentamento de centenas de famílias, pois quando uma grande quantidade de terra pertence à apenas uma família, geralmente não emprega ninguém, ou emprega poucas pessoas e o dinheiro fica com apenas uma família, mas quando a terra passa a pertencer e gerar produção para mais famílias, além de gerar mais ‘empregos’, o dinheiro também gira no comércio com mais intensidade e gera mais empregos também na cidade, gerando também e consequentemente, mais impostos para o município”.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais