MP apura supostas irregularidades em concurso público e cumpre mandados em Xanxerê

20 de agosto de 2019 10:27 | Visualizações: 1356
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
MP apura supostas irregularidades em concurso público e cumpre mandados em Xanxerê Foto: Divulgação

Equipes do Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), de Chapecó, cumpriram mandados de busca e apreensão, nessa segunda-feira (19), para apurar denúncias de supostas irregularidades no concurso público da Prefeitura de Guatambu.

Os mandados foram pedidos pela 10ª Promotoria de Justiça de Chapecó e autorizados pela 2ª Vara Criminal. De acordo com o promotor Diego Barbiero, da 10ª Promotoria de Justiça e também coordenador do Gaeco de Chapecó, as buscas foram cumpridas em dois endereços na cidade de Xanxerê e também em Guatambu, em um endereço.

Em entrevista ao Diário do Iguaçu, ele comenta que a investigação iniciou em 24 de julho, a partir do recebimento de representação encaminhada à ouvidoria do Ministério Público.

– São investigadas irregularidades relacionadas à violação do conteúdo sigiloso do concurso público e à realização do concurso em si – diz.

As diligências dessa segunda-feira (19) foram realizadas em duas residências e na sede de uma empresa. Foram apreendidos documentos, celulares, pen-drives e computadores. Os dispositivos serão, agora, encaminhados à perícia para análise dos dados.

Próximos passos

Conforme o promotor, os documentos apreendidos estão sendo analisados pela equipe do Gaeco e os aparelhos celulares, pen-drives e computadores serão periciados.

– Se houver comprovação de violação do sigilo ou envolvimento de agente público, poderão ser ajuizadas ações criminais e cíveis visando a tutela da moralidade administrativa e a imposição de sanções criminais e cíveis aos envolvidos – destacou.

Barbiero destaca que conforme o Código Penal, as penas de quem violar o sigilo de concurso público causando danos à administração podem chegar a seis anos de reclusão, além de multa. De acordo com a reportagem, o Diário do Iguaçu entrou em contato com a assessoria da Prefeitura de Guatambu, que informou não ter sido notificada sobre a ação.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais