MP instaura inquérito para apurar a veracidade dos casos de H1N1 de Xanxerê

4 de junho de 2019 18:59 | Visualizações: 799
Comunidade , Saúde Compartilhar no Whatsapp
MP instaura inquérito para apurar a veracidade dos casos de H1N1 de Xanxerê Foto: Diego Redel/Agência RBS/BD

Nos últimos meses circulou pela mídia de Xanxerê que o município havia registros de casos de H1N1. A situação causou alarde na comunidade e foi esclarecida pela Gerência Regional de Saúde de Xanxerê que não era verídica.

Diante da situação e do não fechamento dos dados, o Ministério Público de Santa Catarina por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Xanxerê instaurou um inquérito para apurar a veracidade dos casos de H1N1.

– Foi instaurado o inquérito para apurar a veracidade dos casos de H1N1. É uma coisa que tem nos preocupado bastante porque a gente não sabe se tem tantos casos como foi divulgado ou se não tem, porque é um número bastante alarmante – comenta o promotor de Justiça, Marcos Brandalise.

Ainda de acordo com o promotor, é necessário trabalhar com as responsabilizações diante do caso.

– Vamos verificar quais as medidas estão sendo tomadas e qual a responsabilização se a informação não for verdadeira. Porque todo mundo tem o direito de ser informado, mas com responsabilidade. Então vamos querer ver, porque no site que divulgou tem até informação que uma funcionária pública acabou omitindo dados de H1N1, então se isso aconteceu vamos trabalhar com as responsabilizações com o servidor público e se não for caso de responsabilização de servidor público, precisamos saber de onde saiu esses dados com esses números todos – explica.

Para verificar a situação, oitivas serão realizadas com os responsáveis pelos dados.

– Agora ficou a dúvida se tem ou não tem. Nós mandamos oficiar o Setor de Epidemiologia do Estado para que ele informe quais são os casos reportados em Xanxerê. Vamos ouvir as enfermeiras e todos os responsáveis para verificar até que ponto isso é verdade ou não e, se for, quais as medidas que o poder público está tomando para isso. Vamos ver de onde partiu esses dados falsos. Porque não se faz uma notícia e não se trata com leviandade um tema dessa natureza em um momento desse – conclui.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais