MP pede a abertura de sindicância para investigar postura de três servidoras da Saúde

22 de fevereiro de 2019 18:08
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
MP pede a abertura de sindicância para investigar postura de três servidoras da Saúde Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias

Nessa quinta-feira (21), aconteceu em Xanxerê uma Audiência Pública que teve por objetivo debater sobre o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde e no Pronto-Atendimento. Na oportunidade, o Ministério Público apresentou alguns pontos para melhorias no atendimento com a população.

Dentre eles, estão a abertura de sindicâncias em desfavor de três profissionais da saúde do município. De acordo com a secretária de Saúde do município, Irene Goralski, trata-se de uma médica, uma agente de saúde e uma técnica.

– Com as visitas que realizamos nas unidades, a própria equipe verificou a produção e até mesmo o atendimento das profissionais, isso devido algumas reclamações de pacientes. Nas entrevistas foram levantados esses dados onde promotor percebeu essa necessidade. São reclamações por motivos de atendimento. Agora, se aguarda a abertura desse processo, para ver qual será o próximo passo. Porque como foi identificado, vamos verificar para ver se procede mesmo – explica Irene.

Médica: Ela atuava no Bairro Tacca e deve ser investigada pelo seguinte motivo: Violação ao disposto no art. 111, incisos II, VI “a”, XII do Estatuto do Servidor Público Municipal:
II – exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo;
VI – atender com presteza;
a) ao público em geral, prestando as informações requeridas, ressalvadas as protegidas por sigilo;
XII – Tratar com urbanidade as pessoas.

Agente de saúde: Ela atua no Bairro dos Esportes e deve ser investigada por violação ao disposto no art. 111, incisos I, II, III, V, VI, “a”, XI, XII:
I – trabalhar;
II – exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo;
III – lealdade às instituições a que servir;
V – cumprimento às ordens superiores exceto quando manifestadamente ilegais;
VI – atender com presteza;
a) ao público em geral, prestando as informações requeridas, ressalvadas as protegidas por sigilo;
XI – Ser assíduo e pontual ao serviço;
XII – Tratar com urbanidade as pessoas;

E art. 112, incisos V, VI, XV:
V – promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição;
VI – referir-se de modo depreciativo ou desrespeitoso às autoridades públicas ou aos atos do Poder Público, mediante manifestação escrita ou oral;
XV – proceder de forma desidiosa.

Técnica: Esta atuava no Hélio dos Anjos Ortiz e deve ser investigada por violação ao Estatuto dos Funcionários Públicos Municipais no que diz respeito aos seguintes incisos dispostos no art. 111, relacionado aos deveres do funcionário público municipal:
II – exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo;
V – cumprimento às ordens superiores exceto quando manifestadamente ilegais;
VI – atender com presteza;
a) ao público em geral, prestando as informações requeridas, ressalvadas as protegidas por sigilo;
X – manter conduta compatível com a moralidade administrativa;
XII – Tratar com urbanidade as pessoas;

E aos seguintes incisos do art. 112, que diz respeito às proibições:

V – promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição;
VI – referir-se de modo depreciativo ou desrespeitoso às autoridades públicas ou aos atos do Poder Público, mediante manifestação escrita ou oral;
X – valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública;
XVIII – exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo que ocupa e com o horário de trabalho.

 

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais