Obesidade aumenta e quase 20% dos brasileiros apresenta a doença

Maior crescimento de foi de jovens com a doença, índice que passou dos 100% de aumento

28 de junho de 2018 11:52
Comunidade , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Obesidade aumenta e quase 20% dos brasileiros apresenta a doença Imagem Ilustrativa (Foto: Divulgação)

A última Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) divulgada pelo Ministério da Saúde nesse mês aponta que 18,9% dos brasileiros sofrem de obesidade. Quanto ao sobrepeso, este já atinge 54% da população do país.

Entre os jovens, a obesidade aumentou 110% entre 2007 e 2017. Esse índice foi quase o dobro da média nas demais faixas etárias (60%). O crescimento foi menor nas faixas de 45 a 54 anos (45%), 55 a 64 anos (26%) e acima de 65 anos (26%).

No mesmo período, o sobrepeso foi ampliado em 26,8%. Esse movimento foi maior também entre os mais jovens (56%), seguidos pelas faixas de 25 a 34 anos (33%), 35 a 44 anos (25%) e 65 anos ou mais (14%).

Conforme a nutricionista Clarissa Sartor, um dos fatores que contribuem para o aumento de pessoas com sobrepeso e obesidade é a mudança nos hábitos alimentares da famílias brasileiras. No Brasil, uma em cada cinco pessoas está a cima do peso, conforme o Ministério da Saúde.

“Essas pesquisas também mostram a mudança nos hábitos alimentares da população. Os brasileiros estão consumindo menos ingredientes considerados básicos e tradicionais. Apenas um entre três adultos consome frutas e hortaliças em cinco dias da semana”, comenta.

A nutricionista destaca ainda que muitas pessoas desconhecem o fato da obesidade ser uma doença crônica, que é caracterizada pelo acúmulo de gordura corporal e que tem diversas origens. Além disso, o aumento da obesidade também colabora para o aumento da incidência de diabetes e hipertensão, que também são doenças crônicas e que podem levar a morte.

“A gordura é importante para o nosso organismo na medida certa, quando se encontra em excesso prejudica o bom funcionamento do organismo. O IMC é um dos padrões mais utilizados para o diagnóstico da obesidade. Porém, utilizado isoladamente não é um bom parâmetro para avaliar o excesso de peso corporal. Para um diagnóstico mais preciso é necessário uma avaliação física individualizada”, explica.

Apesar desses dados, a inclusão de frutas e hortaliças no cardápio habitual dos brasileiros está aumentando. Entre 2008 e 2017 houve um acréscimo de 5% no consumo. Outro dado que chama a atenção é que são as mulheres quem mais consomem esses alimentos, somando cerca de 40%, enquanto apenas 27,8% dos homens incluem hortaliças no prato.

“Uma alimentação equilibrada é fundamental para manutenção do peso ou ainda a perda do excesso de peso corporal. Fracionar as refeições, ingerir diariamente frutas e verduras, praticar atividade físicas para auxiliar a queima de calorias são auxiliadores na perda do peso corporal. É importante também lembrar que é preciso tomar cuidado com dietas milagrosas que prometem grandes perdas de peso em curto período de tempo, elas também podem levar a problemas de saúde, e ainda colaborar para o indesejado efeito sanfona”, finaliza a nutricionista.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais