Ocupações: alunos da Escola Costa e Silva reivindicam para que nome da escola seja trocado

14 de novembro de 2016 10:11 | Comunidade , Educação , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Ocupações: alunos da Escola Costa e Silva reivindicam para que nome da escola seja trocado Alunos iniciam ocupação na Escola Costa e Silva em Xanxerê. (Foto:Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

 

Desde da última terça-feira (08) duas salas da Escola Estatual Presidente Arthur da Costa e Silva estão ocupadas por cerca de 20 alunos. As reivindicações são contra a PEC 241, que agora no Senado é a 55 e também sobre a reforma do ensino médio. No local os alunos ainda seguem unidos para trocar o nome da escola, que homenageia Arthur da Costa e Silva.

O estudante Mateus Mello, organizador do movimento na escola, comenta sobre a manifestação, “nós estamos realizando algumas atividades na escola e, nós estamos aqui por algo bom para o bem da escola, não estamos aqui para perder tempo ou para matar aula”.

Mateus comenta que além de reivindicar contra a PEC 241, o objetivo das manifestações é trocar o nome da escola, “ninguém precisa saber profundamente a história para saber quem foi o Arthur da Costa e Silva e você homenageando ele com o nome de uma escola que é uma das maiores da região, você tira totalmente o mérito da escola. Nós temos o conhecimento que o nome é uma história negativa que não tem nada a ver com a proposta de educação que a escola trás, não me envergonho de estudar aqui, mas me envergonho de dizer que minha escola homenageia Arthur da Costa e Silva”, destaca.

Arthur da Costa e Silva foi presidente do Brasil, no segundo no regime militar. No seu governo iniciou a fase mais dura e brutal do regime ditatorial militar, quando mais tarde foi promulgado o Ato Institucional AI-5 que foi baixado em seu governo, onde dava totais poderes ao presidente.

O organizador do movimento destaca desta maneira os alunos estão buscando a melhor forma de garantir seus direitos, “Nós estamos buscando a melhor forma de conseguir nossos direitos de forma organizada e pacifica”.

Permanência na escola

Os alunos permanecem na escola desde a última terça-feira (08), “nós ficamos direto na escola, hoje (14) nós não temos aula, mas estamos aqui. Nós dormimos em duas salas, em uma sala dormem os meninos e em outra as meninas”.

Ainda em entrevista na última semana Edegar Fumagalli, diretor da escola, destaca que as aulas não irão ficar comprometidas com a ocupação.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais