Oftalmologista de Xanxerê explica sobre o ceratocone e seu tratamento

28 de agosto de 2019 15:29 | Visualizações: 1053
Comunidade , Saúde Compartilhar no Whatsapp
Oftalmologista de Xanxerê explica sobre o ceratocone e seu tratamento Foto: Lance Notícias

Conhecido pelas novelas em que já participou na Record, o ator Saulo Meneghetti, de 33 anos, que já morou em Xanxerê por vários anos, tem a doença ceratocone e que inclusive usou das redes sociais para falar sobre o assunto. Essa doença atinge cerca de 6 a 10% da população em geral brasileira, ou seja, 150 mil pessoas por ano no Brasil, porém ainda há dúvidas referente ao tratamento e o que de fato é essa doença.

O oftalmologista Dr. João Carlos Weissheimer, de Xanxerê, explica que o ceratocone é uma doença hereditária que causa alteração na estrutura da córnea. Isso faz com que a pessoa tenha mudanças no grau e a doença pode evoluir até se chegar a um transplante de córnea.

– Essa estrutura frágil da córnea faz com que a pressão que está dentro do olho empurre a córnea para fora, fazendo com que a córnea fique ovalada, com aspecto de um bico. Essa deformação da córnea leva a mudança no grau, normalmente faz com que o paciente apresente uma miopia e astigmatismo e quanto mais avançado é o ceratocone, maior é esse grau, fazendo com que a pessoa enxergue menos com o passar da evolução do ceratocone – explica.

Foto: Divulgação

 

Tratamento

Dr. João explica que o tratamento do ceratocone vai depender do grau, ou seja, da curvatura da córnea. Quanto menor é a curvatura, mais fácil o tratamento. Segundo o especialista, há cinco maneiras de tratar a doença.

– Quando o ceratocone está no início o tratamento é com óculos. Com o passar do tempo, os óculos não resolvem mais, então temos que tentar adaptação com lentes de contato. Evoluindo a doença existe um procedimento chamado anel intraestromal, ou seja, cirurgicamente implanta esse anel na córnea fazendo com que esse bico diminua. Outro método é o crosslink onde se pinga uma substância chamada riboflavina e que com a iluminação de uma luz ultravioleta faz com que essa estrutura da córnea fique mais rígida, fazendo com que ela se achate. Em ceratocone grave o único tratamento é o transplante de córnea – ressalta.

O ceratocone normalmente se inicia na adolescência e pode evoluir até os 30 anos, depois se estabilizar. Ainda conforme o oftalmologista, a doença geralmente é assimétrica.


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais