Perda auditiva – Dados alarmantes!

16 de agosto de 2019 09:37 | Visualizações: 1296
Centro Auditivo Chapecó , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp

 

Ouvir e entender são necessidades humanas essenciais. Atualmente, os problemas auditivos e as consequências sociais resultantes deles, são um desafio para a sociedade.

Segundo dados da Bernafon, aproximadamente 500 milhões de pessoas no mundo sofrem de perda auditiva. Estima-se que na Europa 70 milhões de pessoas têm perda auditiva significativa e nos EUA aproximadamente 30 milhões de pessoas. No Brasil, esse número atinge 10% da população. E estes são números alarmantes.

Das pessoas com perda auditiva significativa, aproximadamente 20% está entre 65 e 74 anos. Acima de 75 anos, essa proporção aumenta para 35%. A perda auditiva é frequentemente associada ao avanço da idade, mas isso nem sempre é verdade. As estimativas apontam que os deficientes auditivos estão se tornando cada vez mais jovens, e um dos motivos é à exposição ao ruído excessivo.

A perda auditiva pode se tornar um problema maior se não tratada, pois faz você reduzir sua socialização com as outras pessoas, porque as conversas passam a demandar mais energia. O que com o tempo, pode levar a sentimentos de isolamento e depressão.

Além disso, alguns estudos demonstraram que pacientes com perda auditiva, e que não receberam tratamento, são mais propensos a desenvolverem doenças de demência, como o Alzheimer, pois o corpo sofre um envelhecimento mais acelerado.

A maioria das perdas auditivas pode ser auxiliada pelo uso dos aparelhos auditivos, por isso, quando for percebida qualquer dificuldade auditiva, procure um Fonoaudiólogo, profissional especialista em audição, e realize um exame de Audiometria. Após realizar uma avaliação audiológica completa será possível avaliar e determinar qual o tratamento indicado e qual o aparelho auditivo recomendado.

Não espere piorar, quanto antes você procurar auxílio será melhor para você!

Entre em contato conosco, Centro Auditivo Chapecó e saiba mais!

 

 

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais