PM chega a registrar até 40 furtos por mês em Xanxerê

14 de novembro de 2017 11:22
Comunidade , Polícia , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
PM chega a registrar até 40 furtos por mês em Xanxerê Imagem meramente ilustrativa (Foto: PM)

Os casos de furtos ou roubos em residências, veículos e até mesmo em empresas, ocorrem com frequência no município de Xanxerê. Segundo estatísticas da Polícia Militar, a média é de 20 a 40 furtos por mês.

De acordo com o Comandante da 4ª Companhia de Polícia Militar de Xanxerê Fronteira, Capitão Vilte dos Santos, o índice não é alarmante, mas a prevenção continua sendo essencial.

“Em uma análise das estatísticas da Polícia Militar, a partir do mês de janeiro, até os dias atuais, os meses que mais ocorreu furto, acabaram batendo a casa de 30 a 40, tiveram alguns meses que conseguimos reduzir para 20, 10 e até nove furtos mês. Então podemos pôr uma média geral, de 20 a 40 furtos por mês. É uma estatística que não alarmante, é administrável, eu diria que se as pessoas nos auxiliassem enquanto prevenção, provavelmente nos conseguíramos reduzir esse número ainda mais”.

Os locais com maior índice de furtos é o centro, Bairro La Salle e Matinho. “Muitas vezes, a oportunidade faz com que a pessoa que tem essa índole, voltada ao crime, acabe praticando. Então um alerta para as pessoas principalmente de alguns bairros, com índice maior, tanto centro, como Bairro La Salle e Matinho, que as pessoas nos auxiliem na prevenção, não deixem matérias de valor à vista, quando não tiver ninguém em casa. Sabemos que ocorreu no Bairro La Salle furtos de cadeiras, deixadas nas varandas e acabaram sendo furtadas, por pessoas que acabaram saindo e não foram identificadas pela Polícia. Mas a prevenção é essencial, porque podemos trabalhar com a comunidade e diminuir esse índice”.

Ainda segundo o Capitão, os locais que mais ocorrem furtos, no centro do município, é naqueles, onde não há câmera de videomonitoramento. “Os números altos de furtos que ocorreram no centro, são relativos aos próprios furtos de veículos que ocorreram. Geralmente esses locais do centro, são locais que não estão com a cobertura de nossas câmeras de videomonitoramento”, conclui.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais