Possibilidade de greve: “Não temos mais condições de trabalhar como caminhoneiro”, diz sindicato da classe de Xanxerê

31 de julho de 2017 09:13
Comunidade , Trânsito , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Possibilidade de greve: “Não temos mais condições de trabalhar como caminhoneiro”, diz sindicato da classe de Xanxerê (Foto: Divulgação/Blog do Caminhoneiro)

“Não temos mais condições de trabalhar”. A afirmação é do presidente do Sindicato dos Caminhoneiros de Xanxerê, Nego Raul. Nesta semana, a classe novamente se movimenta para iniciar uma paralisação em todo o país, devido ao aumento do diesel e da gasolina.

A paralisação deve ocorrer nesta terça-feira (1º), nas principais rodovias do país. Nego Raul comenta que o objetivo é que ocorra as manifestações em Chapecó. As mesmas devem iniciar às 5h.

“É para começar às 5h, alguns lugares vai iniciar às 00h, e não temos hora para terminar. Em Xanxerê vamos ver o que vamos fazer, porque talvez vai parar em Chapecó. Em Santa Catarina, vai começar em Itajaí e Lages. Mas estão se integrado todos os estados”.

Segundo Nego Raul, os caminhoneiros não têm mais condições para trabalhar e a paralização busca reivindicar os direitos. “Vamos pedir a conscientização, porque não é só os caminhoneiros que estão pagando. Vamos reivindicar contra o aumento do combustível. Não temos mais segurança, não temos mais estradas. Os caminhoneiros vão quebrar. Não temos mais condições”.

Caso ocorra a paralização, será aberta a passagem de veículos com cargas perecíveis, ônibus e ambulâncias. “Na BR- 282 em Chapecó é 99% que vão parar. Vão deixar passar, cargas perecíveis, carga viva, ambulância, ônibus, vamos parar apenas a parte que afeta o transporte”.

 

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais