“Precisamos escolher quando vamos ficar doente”, diz moradora em relação ao agendamento de consultas nos postos de saúde

14 de abril de 2016 14:23
Comunidade , Saúde Compartilhar no Whatsapp
“Precisamos escolher quando vamos ficar doente”, diz moradora em relação ao agendamento de consultas nos postos de saúde (Foto: ARQUIVO/Lance Notícias/Imagem meramente ilustrativa)

 

“Precisamos escolher quando vamos ficar doente”, diz uma moradora do Bairro Nossa Senhora de Lourdes, em relação ao atendimento no posto de saúde da comunidade. Para o mês de abril não há mais vagas disponíveis para consultas, somente a partir do dia 20 de Maio, os horários passarão a ser agendados para o mês seguinte. O mesmo acontece nas outras unidades de saúde do município.

A moradora, que prefere não identificar, se diz indignada com a situação onde quando fica doente, precisa ir até a emergência do Hospital São Paulo ou no Atendimento 24 horas, quando poderia utilizar a unidade próximo da sua casa.

A saúde pública de Xanxerê foi tema de debate na Câmara de Vereadores desta quarta-feira (13), onde o Vereador Adriano De Martini, pediu para que a secretaria de saúde se manifeste em relação a falta de médicos ginecologistas.

“Nesse período que fiquei licenciado do Câmara de Vereadores ouvi muitas reclamações por parte das mulheres que iam aos postos, mas não conseguiam marcar as consultas por falta de médicos ginecologistas. É um pedido que nós fazemos à secretaria de educação para uqe isso seja agilizado, porque muitas dessas mulheres que antes eram atendidas nos postos de saúde, tem procurado consultórios particulares. Vamos buscar esse pleito junto a secretaria tendo em vista que uma das principais bandeiras da atual administração é essa”, diz o vereador Adriano de Martini (PT), durante a sessão ordinária desta quarta-feira (13).

O vereador e médico Flávio Filappi, explicou que a situação do município é crítica em relação a saúde não só da mulher, mas em outras áreas como a pediatria.

“O problema é mais grave do que imaginamos. Nós temos em média mil mulheres grávidas por ano em Xanxerê, destas 20% são classificadas gestantes em alto risco e quando a dona Iara foi secretária em 2012 ela teve a grande ideia de fazermos a clínica da mulher, onde nós eramos em cinco ginecologistas e foi concentrado o trabalho do pré-natal no PAM. Então, até o sétimo mês as mulheres faziam o atendimento nas unidades de saúde e após vinham para nós no PAM. Em virtude do PDVI, a maioria dos médicos saíram e ficou somente uma médica, mas que esse ano também saiu. Desde então nós estamos sem ninguém. Destas mulheres as que podem pagar fazem particular e as que não podem param na emergência do Hospital Regional São Paulo. As consequências são muito mais graveis do que imaginamos, do que simplesmente, não ter consulta”, diz Flávio Filappi (PPS).

A secretária de Saúde Cleci Zanin foi procurada diversas vezes nestas quinta-feira (14), porém não atendeu as ligações.


Por:

Deixe seu comentário

Saiba Mais