Prefeito Miri viaja a Brasília para discutir situação do aeroporto do município

7 de junho de 2016 14:09
Comunidade Compartilhar no Whatsapp
Prefeito Miri viaja a Brasília para discutir situação do aeroporto do município Prefeito viaja a Brasília para discutir situação do aeroporto de Xanxerê (Foto: Câmara de Vereadores de Xanxerê)

 

No início da próxima semana o prefeito de Xanxerê, Ademir Gasparini viaja a Brasília, para, dentre outras coisas, impulsionar a liberação de recursos para o Município. Miri deve participar de audiências relacionadas a construção do Novo Ginásio Ivo Sguissardi e sobre o aeroporto de Xanxerê.

As audiências já marcadas para o prefeito participar são na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), na Defesa Civil da União e no Ministério da Integração. A intenção do prefeito é pedir mais agilidade na liberação de recursos para a construção do ginásio Ivo Sguissardi.

“Nós vamos para agilizar o projeto do ginásio Ivo Sguissardi. O projeto já está lá há 60 dias para ser analisado pelos técnicos e devolvido para que possamos dar a ordem de serviço para que a empresa possa iniciar as obras. Falta somente a liberação do ministério da Integração. Esta obra está no pacote de todos os projetos do Brasil e nós conseguimos marcar audiência com o general Adriano comandante da Defesa Civil da União aproveitando o espaço na sua agenda para falar diretamente com ele para que ele dê agilidade na liberação do recurso”, destaca o prefeito Miri.

Já na Anac, Miri deve discutir sobre a administração do aeroporto do município que a princípio deve ficar por conta da própria administração e futuramente seja realizada uma terceirização.

“Estamos levando a documentação que diz respeito a quem vai administrar o aeroporto de Xanxerê. Porque depois do balizamento e sinalização do aeroporto, agora a Anac está cobrando do município quem vai ter autonomia para administrar o aeroporto, então estamos encaminhando a documentação, informando que a princípio o próprio município fica como administrador do aeroporto e possivelmente a gente estude a possibilidade de fazer uma terceirização”, destaca.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais