Procura pela CNH caiu mais de 50% com a obrigatoriedade do exame toxicológico

26 de outubro de 2016 15:22 | Comunidade , Trânsito , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Procura pela CNH caiu mais de 50% com a obrigatoriedade do exame toxicológico Mais de 50% da procura para realizar a carteira diminuiu. (Foto:Internet)

Após o cumprimento da Resolução 583 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) publicada em 24 de março de 2016, os motoristas das categorias C, D e E passaram a ser obrigados a fazer o exame toxicológico. Depois da obrigatoriedade, mais de 50% da procura para realizar a carteira diminuiu.

“Diminuiu mais da metade, um dos motivos é porque as pessoas não têm mais dinheiro. A carteira aumentou, pois, entrou junto mais o valor do exame, que começou em R$360,00 depois R$310,00 e agora está em R$280,00. Mas o valor ainda é alto, pois tem mais as taxas. Para ter movimentos as autoescolas estão encobrindo o preço”, comenta José Altamir Ribas da Costa, presidente das Associações das Autoescolas de Xanxerê.

O exame detecta se nos últimos três meses, a pessoa usou alguma substância que comprometesse a capacidade de direção como drogas. O exame só pode ser feito nos laboratórios credenciados e o valor varia de R$ 280 a R$ 380. Se o motorista for reprovado no exame toxicológico terá que esperar três meses para refazer.

A exigência do exame toxicológico para obtenção ou renovação da habilitação foi estabelecida pela lei federal 13.103/15, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), entrando em vigor em todo o país em março. O objetivo do exame é prevenir acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras, pois os caminhoneiros são as maiores vítimas das estradas, principalmente pelo uso de drogas como consequência de longas jornadas de trabalho.

 

 

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais