Procura por vacinação contra pólio e sarampo está baixa

14 de agosto de 2018 11:10
Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Procura por vacinação contra pólio e sarampo está baixa Foto: Edu Andrade / PMPA

A campana de vacinação contra a Polio e Sarampo iniciou na última semana em Xanxerê. Por enquanto a procura pela vacinação é tímida.

Segundo Waldereza Dal Molin, a vacinação segue até o dia 31 por isso é importante que os pais procurem as salas de vacinas o quanto antes para garantir a imunização.

As salas de vacinação são as seguintes: Vista Alegre, Castelo Branco, Esportes, Nossa Senhora de Lourdes e Vila Sésamo. O horário de atendimento será de segunda a sexta, das 7h30min às 11h30min e das 13h às 17h. Somente no Helio Ortiz, o atendimento é das 7h às 19h, sem fechar ao meio dia.

Lembrando que no próximo sábado (18) acontece o Dia D de vacinação, e todas as salas atenderão das 08h17min às 17h, sem fechar ao meio-dia. O público-alvo são crianças de um ano a menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias).

 

Sobre o Sarampo

Em Santa Catarina, o último caso de sarampo registrado foi no ano de 2013. Em 2018, até este momento, foram aplicadas 37.519 doses da vacina tríplice viral em crianças de 1 ano de idade, o que corresponde a 39,37% de cobertura vacinal. A vacina protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

Ainda neste ano, foram aplicadas 20.299 doses da vacina tetraviral, que protege contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela. O montante corresponde a uma cobertura vacinal de apenas 21,3%.

 

Sobre a pólio

Santa Catarina está livre da poliomielite desde 1990. Em 2018, até o momento, foram vacinadas 34.525 das 95.309 crianças menores de 1 ano de idade que devem receber a vacina da poliomielite, correspondendo a uma cobertura de 36,22%. Por isso, ainda é necessário vacinar 60.784 crianças.

Em 1994, o Brasil recebeu, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem. Portanto, é fundamental a manutenção das elevadas coberturas vacinais, acima de 95%.

A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito. O déficit motor instala-se subitamente e sua evolução, frequentemente, não ultrapassa três dias. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular, com sensibilidade conservada e arreflexia no segmento atingido.

A transmissão ocorre por contato direto pessoa a pessoa, pela via fecal-oral (mais frequentemente), por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores, ou pela via oral-oral, através de gotículas de secreções da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar). A falta de saneamento, as más condições habitacionais e a higiene pessoal precária constituem fatores que favorecem a transmissão do poliovírus.

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais